segunda-feira, 18 de agosto de 2014

A Importância de Recordar

É engraçado como uma música, uma foto ou uma conversa perdida no celular pode te levar de volta a um momento. Eu sei o que as típicas frases dizem: “Não é legal reviver passado”, “Vira a página” e muitas outras (facebook está cheio delas). 

Mas as pessoas costumam inverter a situação inteira. Só porque você teve uma experiência ruim, não significa que você precisa abandonar tudo o que viveu. 

Acredito que quanto mais você impõe a si mesmo essa condição de esquecer o passado, mais você se lembra dele. Eu cheguei a um ponto, em que eu não me arrependo mais de nada que eu tenha feito (quer dizer, por enquanto né). 

Se eu magoei alguém ou se me magoaram, já não faz mais tanta diferença. Já está feito, não? Procuro tirar as lições de cada coisa. Só pra não correr o risco de errar de novo. O que é meio impossível, já que o dia em que eu parar de errar, significará que eu não tenho mais nada a aprender.

A nossa vida é como um armário. Repleto de gavetas e esconderijos secretos, onde guardamos tudo aquilo com que nos importamos. Quando conhecemos alguém e sentimos algo, uma gaveta é aberta. 

E lá guardamos tudo o que é relacionado a esta pessoa. É verdade que existem uns alguéns muito especiais, que ocupam mais de uma gaveta. Já que o espaço é correspondente ao do nosso coração.

Quando algo dá errado, podemos até jogar as lembranças ao vento ou queimá-las. Mas o coração sabe que o espaço continua lá. Dentro de você, em algum lugar. Podemos fugir do passado, mas em algum momento ele nos encontra.

Também existem pessoas que abrem uma mesma gaveta para pessoas diferentes. Até o armário inteiro. E você acaba entendendo que o lugar está infestado por cupins e que tudo está prestes a desmoronar. Você até pode participar da mobília, mas nunca terá um lugar fixo nela.

De vez em quando, ocorre um abalo sísmico em nosso peito e uma gaveta antiga se abre. E com ela, voltam várias memórias, inclusive a versão antiga de nós mesmos. E pode ser que por haver tanta coisa dentro dela, você nunca mais consiga fechá-la. Pode ficar emperrada ou você pode não ser forte o suficiente para isso.

O passado faz parte de todos nós. Não há uma maneira de se livrar dele. Você nunca o esquece totalmente. Eu concordo com a ideia de seguir em frente. 

Mas apenas lembre-se que você só é assim hoje, por causa de todas as suas experiências. Então, nada mais justo que valorizá-las, ao invés de querer se livrar delas.

Quantas gavetas você já abriu? E quantas já foram fechadas? Alguma já emperrou? Já levei o meu armário para o conserto e alguns lugares já foram fechados. Mas percebi que ainda tem muito espaço vazio pela frente.

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...