Pular para o conteúdo principal

Para todos os medos do mundo.

Abril, 2018.

Aos quinze, altura era um de meus maiores medos. Só de encostar na sacada da minha casa na época, eu sentia náuseas. Eu pensava na queda. Na possibilidade de me desequilibrar. Que tolice seria morrer por descuido, pelo acaso, eu pensava. O hipotético momento de descontrole me deixava aterrorizada. 

Eis que num dia ensolarado, me vi ocupando um lugar numa montanha-russa. Passei cinco horas na fila e, tinha sido incrível. Meus amigos e eu nos divertimos tanto que, não havia sobrado espaço para o medo crescer. Quando vi, já estava sentada. As travas - que não eram lá muito seguras, para meu desespero - já haviam sido abaixadas, quando perguntei para meu amigo "ainda dá pra desistir?". Ao que ele nem precisou responder, já que o brinquedo começou a andar.

Os primeiros 30 segundos foram os piores da minha vida. Uma subida lenta e dolorosa. Eu desmoronava de dentro pra fora ao pensar na descida. Não conseguia não deixar meus olhos abertos. Lá do alto, vi uma multidão na fila ansiosa pelo momento em que me encontrava. E eu só conseguia pensar em como trocaria de lugar com qualquer um deles.

O brinquedo parou. Talvez houvesse algum problema. Todos teriam que evacuar por segurança. E esta seria minha chance de ir comprar um refri e nunca mais voltar. Mas na verdade, a subida havia acabado. 

Despencamos.

Não me lembro de gritar. De fechar os olhos. De sorrir. Acho que durante aquele um minuto e meio, eu fiquei em estado de choque. Sendo jogada de um lado pro outro, sem um pingo de emoção na minha face. 

Quando identifiquei uma espécie de padrão nos movimentos do brinquedo, me acostumei. Só esperei pelo fim. 

Chegamos. Travas para cima. Levantamos.

Minhas pernas estavam energizadas. Fracas. Eu sentia choque nelas como acontece quando a gente se apoia sobre uma parte do corpo por muito tempo. Parece que aquele órgão é de outra pessoa. E por alguns segundos, ele deixa de ser nosso.

Nesta época da vida, eu não era muito exposta a novas experiências. O que faz com que esta seja uma de minhas memórias mais marcantes. Naquele momento, eu me sentia tão leve. Era como se o mundo flutuasse comigo. Costumo dizer que nesse dia, perdi minha alma. Mas na verdade, pela primeira vez, fui além do medo.

Não sou uma moça de coragens. Mais corro, do que encaro. Fujo do frio na barriga até onde der. E na maioria das vezes, não dá certo. No fim, talvez a gente não precise ser destemido a vida toda. Mas precisemos ser impulso por uns dez segundos. 

O medo sempre vai ser do tamanho que nós damos a ele.

Talvez ele nos paralise. Nos diminua. E seja uma verdadeira barreira viva para o que no fundo, a gente realmente quer. E tá tudo bem.

A gente só precisa do impulso. Do um minuto e meio depois disso, a gente dá conta.
--------------------------------------------------------------





Foto e texto: Carol Chagas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vestibular: Os Melhores Sites de Exercícios

Sim, eu sei que faz muito tempo que eu não faço posts sobre Vestibular, mas vamos mudar isso! Depois que tranquei a faculdade, tenho tido mais tempo para me dedicar ao estudo, o que consequentemente me fez resolver mais exercícios. 
Como tenho um número limitado de livros com questões, resolvi procurar uma boa parte na internet. Parece fácil, mas existem poucos sites realmente bons nisso. Por esse motivo, decidi fazer uma lista com os melhores links que encontrei por aí sobre o assunto ;) 
Brasil Escola
Costumo comparar o Brasil Escola com o nível 1 de um vídeo-game. As questões são ligeiramente mais fáceis e contém, além do gabarito, resoluções passo-a-passo dos exercícios (quando a matéria é exatas). Gosto de usar o site nas matérias que eu tenho MUITA dificuldade (leia-se matemática, física e química). 

É legal porque como as questões são mais "fáceis", acabam priorizando os conceitos de determinada matéria, sabe? Desse jeito, você acaba prestando atenção em detalhes e aprend…

Trilha Sonora: Simplesmente Acontece

Não sei se vocês perceberam, mas eu meio que amei o filme Love, Rosie (Sim, prefiro o título original). Mesmo já tendo feito um post sobre ele, não pude deixar de comentar a Trilha Sonora. 
A história se passa durante muitos anos e a música evolui com ela. Nem preciso dizer que achei esse fato fantástico. Além disso, os nomes variam entre artistas famosos como Beyoncé a outros não tão conhecidos assim, mas incríveis igualmente. 
Ah, tem até composição instrumental, que super combina com os momentos das cenas. Resolvi escolher as minhas favoritas e colocar aí embaixo para vocês ouvirem e amarem tanto quanto eu estou amando (: 

Algumas delas você só vai gostar mesmo se assistir o filme haha (já falei como é bom lembrar de uma cena ao ouvir uma música). 

Lily Allen - Littlest Things
Elliott Smith - Son of Sam

Lily Allen - Fuck You

Kodaline - High Hopes
KT Tunstall - Suddenly I See
Beyoncé - Crazy in Love Gilbert O' Sullivan - Alone Again (Naturally)
Mimi & The Mad Noise Factory - Get Me Bac…

Quero falar com você.

"Entrei apressada pela entrada. Como se eu tivesse algo importante a fazer. Nem fiquei procurando por ninguém, já que eu nem conseguiria achar com essa linda miopia que eu tenho."
- Primeiro dia de Faculdade (28, Janeiro, 2014).

Hoje, 28 de janeiro, faz 5 anos que escrevi esse post acima e criei o "Fases de Alice". Na época, eu tinha 17 anos e acabara de entrar no curso de Comércio Exterior. Eu já havia tido - e abandonado - dois blogs, então confesso que eu achei que o mesmo fosse acontecer com esse aqui.
De lá pra cá, tanta coisa mudou. Tranquei a faculdade, mudei de curso - Publicidade o/ - e de cidade/estado. Mas uma continua a mesma: de tempos em tempos eu volto pra cá. Criei o blog pra tentar me entender, como uma espécie de terapia pública. E o efeito continua dando certo.
Cada um tem sua válvula de escape. Um lugar onde é bom despejar o que a gente sente, pensa e se é naquele momento. A escrita tem sido a minha forma de lidar com tudo há anos. E o blog me ajudo…

Os Signos dos Cantores

Música é uma das melhores coisas da minha vida e acredito que na de muita gente também. Ela está presente em diversos lugares e nas mais diversas línguas, mas na última semana ela está ainda mais em evidência aqui no Brasil. Sim, estou falando do Rock in Rio ♥ 
Inspirada nessa vibe musical, decidi fazer um post sobre os cantores, mas de um jeitinho diferente. Quem me conhece, sabe que eu amo astrologia e, geralmente, acho alguma semelhança entre pessoas do mesmo signo. 
Então, para celebrar a minha mania de procurar o aniversário dos cantores, resolvi reunir muitos deles em um post :) Lembrando que podem existir diferenças nos perfis que eu descrevi, dependendo do ascendente e da posição das casas, okay? Agora vai lá, ler :P
Áries
Os arianos são conhecidos por iniciar, colocar em prática coisas que ainda não foram realizadas. E que, por esse motivo, sempre são lembrados por seus feitos. 

Áries é o tempo de começos e isso fica ainda mais evidente ao observarmos os exemplos de cantores do si…

Você sabe o que é Guilty Pleasure?

Há alguns anos atrás, vi a seguinte expressão em uma série (tá, foi em Glee): Guilty Pleasure. A tradução livre explica que ela se refere a algo que você gosta, mas que não é considerada como algo legal/bacana na sociedade, fazendo com que você se sinta meio culpado/envergonhado por isso. 

Confesso que eu sou a rainha do Guilty Pleasure, gosto de tanta coisa que é considerada boba, que olha, a lista é grande. Desde cantores pop a séries consideradas ruins. O legal de esconder esses gostos da maioria das pessoas é encontrar gente que te entenda (te aceite haha) e que compartilhe a mesma paixãozinha secreta com você. 

E olha, quando isso acontece, é extremamente libertador poder ouvir (sem vergonha) aquela música que todo mundo zoa :) Pensando nisso tudo, resolvi fazer uma lista de coisas que se encaixam nessa expressão e assumir (nem que seja aqui no blog) algumas delas. Quem sabe um dia eu não assumo na vida real também? haha.
Musicais
Desde a primeira vez que assisti a um musical (foi Hi…