segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Sobre pessoas difíceis

É verdade quando dizem que você só pode confiar em si mesma. De vez em quando aparecem alguns problemas, conflitos que te colocam no fundo do poço. E quanto mais a gente gosta da pessoa, mais poder ela terá para nos decepcionar. Maior a dor. Maior o sofrimento. 


Se você não se dá bem com alguém que você conhece desde que nasceu e essa relação não melhorou, entende do que eu estou falando. A verdade (por mais dura que seja) é que algumas pessoas não mudam. E que a melhor relação que podemos ter, muitas vezes, é á distância.


Eu não sei quem controla esse universo doido (algumas fontes dizem que somos nós mesmos), mas no momento, eu não sei em quem acreditar. Tenho vontade de sair de casa, parar no meio da rua e gritar.


Não quero (e não gosto de) guardar sentimentos ruins dentro de mim, mas algumas situações simplesmente me obrigam. Odeio aguentar calada. E ter feito isso por 24h está me matando. Não sei como algumas pessoas conseguem manter isso por uma vida inteira.




Odeio vida de mentiras. Mas tenho descoberto muitas delas no meu mundinho púrpura (não, não é cor de rosa), talvez mais até do que eu posso aguentar. É complicado. É como se você morasse num castelo de cartas, e alguém simplesmente o destruísse.

A ignorância é uma benção. E você só percebe isso, quando não a possui mais. É triste saber a verdade. O conhecimento traz poder, mas o que eu faço com ele? Destruo o castelo de cartas alheio? Acredito que isso só tornaria as coisas mais difíceis.

Tenho vontade de arrumar a mala e ir embora. Não importa para onde. Alguns podem interpretar essa revolta como coisa de adolescente, de quem não tem problema de verdade. Antes elas estivessem certas. Queria ser fútil e me preocupar unicamente com o meu cabelo ou com o que fazer no sábado a noite.

Sempre fui á favor de dar segundas, terceiras, quartas chances, porque eu acreditava nas mudanças. Mas a vida está jogando na minha cara o meu erro. De que adianta dar uma oportunidade se tudo o que eu recebo são portas fechadas? 

Agora eu sei a verdade. Queria poder ter escolhido melhor minhas armas para lutar essa guerra que parece não ter fim. Quem sabe aí eu teria paz. Meio contraditório, eu sei. Mas nesse mundo controverso, o absurdo parece fazer sentido. 

- Desabafo de quem não consegue falar com os amigos. 

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...