Pular para o conteúdo principal

Séries Que Você Precisa Ver

A temporada de séries voltou com tudo! E como eu fiquei um pouquinho empolgada com a Netflix, decidi fazer um post indicando séries que conheci nas últimas semanas :) 

Tem comédia, drama e suspense, ou seja, para todos os gostos. Ah, e se você gostar das indicações, fiz outro post parecido aqui. Espero que vocês gostem!

Happy Endings 
Jane e Brad: um dos melhores casais das séries.
Todo mundo sabe como é chato quando um casal em um grupo de amigos termina, certo? Agora imagina se a sua amiga largasse o seu amigo no altar. É isso que acontece em Happy Endings. 

Alex foge quando estava prestes a se casar com Dave, mas os dois decidem colocar as diferenças de lado para poderem manter a amizade do grupo. Além dessa história, temos Jane e Brad que são um casal um pouquinho diferente do normal. Max, que é um gay nada convencional e Penny que é a solteirona louca. 

Costumo comparar o humor da série com Friends misturado com New Girl. Happy Endings tem 3 temporadas para você dar umas boas risadas :) Sim, ela foi cancelada.

UnReal
Nós estamos vivendo em um conto de fadas.
Sabe aqueles programas de Reality Show onde um cara escolhe uma garota para casar? Então, ao assistir você já percebe o quanto aquilo é superficial. Mas e se você visse o que acontece por trás das câmeras? Esse é o enredo de UnReal. 

Na história, Rachel volta a trabalhar como assistente de produção em um desses programas (depois de ter surtado no episódio final do Reality anterior). Agora, ela terá que lidar com as consequências de seu sumiço e com o estresse da nova temporada do programa. 

O que te faz querer assistir todos os episódios de UnReal é o fato de Rachel e sua produtora (Quinn) serem extremamente manipuladoras e controlarem todos no reality

A série te faz refletir sobre a veracidade desses programas. Ah, e ela foi renovada para a 2ª temporada \o/ Quem me indicou UnReal foi a Thayná em um dos comentários aqui do blog :)

Don't Trust the B --- in the Apartment 23
Sabe o que é divertido? Álcool. 
Essa é uma daquelas séries boas para te distrair um pouquinho, mas ao mesmo tempo não te fazer perder horas e horas assistindo todas as temporadas (não é mesmo, himym?). 

A história é assim: June, uma garota do interior, se muda para NY e lá resolve dividir apartamento com alguém. O que acontece é que ela logo descobre que Chloe, sua colega de quarto, é uma Bitch (entendeu o B?). 

Inescrupulosa, egoísta e egocêntrica, mas não de todo má. Ela é uma personagem incrivelmente autêntica que mostra uma visão diferenciada da realidade. 

Enfim, a série tem uns episódios bem engraçados. Mas não se apegue: Ela foi cancelada e tem só 2 temporadas. 

Scream
Eu não volto já.
Scream é baseada nos filmes de mesmo nome (Pânico aqui no Brasil). Digamos que é uma versão mais moderna, com uma história e personagens diferentes. Não contarei o enredo, para não dar spoilers.

Bom, a série te cativa e te faz querer descobrir o assassino o tempo todo (pessoas curiosas tomem cuidado: eu devorei Scream em um fim de semana). 

O roteiro é bem elaborado e mostra pistas falsas e verdadeiras para o público, criando um ar de desconfiança de praticamente todos os personagens haha :P 

Os pontos altos: a trilha sonora (é incrível), a ironia utilizada nos diálogos, as cenas de ação/suspense e o fato de alguns personagens serem extremamente carismáticos (mais um ponto para o roteiro). 

Pontos fracos: A fraca atuação, já que em muitos dos episódios, os atores não conseguem passar uma mensagem concreta para o público. Ou seja, você não sabe se uma situação é séria ou se eles estão inseguros mesmo. 

Isso também aconteceu com Finding Carter (ambas séries da MTV). Mas o que importa é que o finale foi incrível e a série foi renovada para a 2ª temporada \o/

How to Get Away with Murder
Os mais quietos geralmente são os mais perigosos.
Sabe House? Imagina isso nos tribunais e você entenderá o quanto How to Get Away with Murder é incrível. Annalise Keating é aquela advogada que ganha todos os casos e derruba forninhos com seus argumentos. 

Ela também é professora e escolhe 5 alunos para trabalhar em seu escritório e fazerem parte de sua equipe. Todo episódio é uma história diferente sobre um caso, onde ocorrem investigações e reviravoltas sobre as pessoas no geral. 

Paralela a essa história, temos flashbacks do futuro desde o episódio piloto em que é possível entendermos que a equipe da advogada mata alguém. E somente com o desenrolar da temporada, dá pra entender de verdade o que aconteceu. 

Os diálogos são maravilhosos, assim como as atuações. O que me incomoda um pouco é a demora para desvendar situações, mas talvez seja porque eu assisti a série em pouco tempo (sim, sou dessas). Enfim, How to Get Away with Murder foi renovada para a 2ª temporada =)

E aí já assistem/assistiram alguma das séries que eu falei aqui? Contem se vocês gostaram. Ah, e me indiquem séries, pelamor haha :P 

Até um próximo post!

Foto e gifs: Google Imagens + Tumblr.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Verdade Sobre os Desenhos

Como qualquer criança normal, eu passei minha infância assistindo desenhos (ainda assisto haha). Só que quando a gente cresce, passa prestar mais atenção ainda neles. Outro dia, eu descobri alguns significados ocultos de um desenho que eu assistia, e resolvi pesquisar MAIS sobre outros. Veja abaixo. 7 Monstrinhos O desenho era exibido na Tv Cultura. E quem era fã mesmo, tinha até a música de abertura decorada hehe. Tudo muito lindo, mas e se eu te dissesse que ele era uma crítica contra o nazismo? Isso mesmo. De acordo com algumas teorias, os 7 monstrinhos representariam a visão dos alemães sobre os judeus.  Eles eram vistos como monstros, possuíam o nariz bem grande, e olha só que coincidência: No campo de concentração, eram identificados por Números. Um dos personagens usava um pijama listrado bem idêntico ao uniforme que os judeus que eram presos tinham que usar, e eles também moravam no sótão (local onde os judeus se escondiam).  Bob Esponja Para o nosso que

espero que nunca.

Desde os 6 anos, sempre vi a morte perto demais. Nada de substancial me aconteceu nesta idade ou no restante dos anos em relação ao assunto, mas sempre senti que era questão de tempo, mesmo que o tempo em questão acontecesse somente dentro da minha cabeça. Assim como uma grande amiga,  não sei direito o que é intuição e o que é medo.  Frequentemente, essas duas linhas se cruzam e eu não consigo distingui-las muito bem. Pelo sim, pelo não, tento ignorar. Mas sempre imagino que aquela é a exceção da regra quase impraticável que se pratica na minha mente. Vai acontecer, eu sinto, tenho certeza. E nada de ruim acontece. Por mais que eu pense, repense e, de longe, vibre com isso. Não me leve a mal, não torço para que coisas ruins aconteçam, muito menos para que eu esteja certa, não tenho tanto apego à razão, como pudemos ver em todas as linhas acima. Eu  apenas minto para mim mesma e me acredito até que a vida se prove contrária . E para minha angústia, mas felicidade, ela sempre se prova.

até certo ponto.

Eu não sabia bem o porquê. Mas aquela cena não saía da minha cabeça. A garota que traía o namorado - logo eu, que nunca namorei direito pra trair - e o mandava embora de sua vida por acreditar que não merecia alguém assim. Saudável. Um amor daqueles tranquilos que faz a vida ficar boa. Melhor até do que ela podia suspeitar.  Ela o mandava embora com pressa, como se fosse óbvio para os dois que aquela relação não tinha mais um lugar para ser. A feição dele passava da surpresa para o choque conforme ela dizia fragmentos do que queria. Eram ideias soltas sem uma narrativa que as amarrasse ou um cuidado que as despejasse de maneira mais palatável.  O episódio havia contado sua história familiar e, por mais que suas escolhas fossem questionáveis, elas eram compreensíveis. Mas Mia - nome da personagem da série a qual eu estava assistindo - tinha motivos. Por mais que ela própria não entendesse. O narrador e os roteiristas da série faziam questão de nos explicar.  Mas confesso que eu não sabi

Trilha Sonora: Simplesmente Acontece

Não sei se vocês perceberam, mas eu meio que amei o filme Love, Rosie (Sim, prefiro o título original). Mesmo já tendo feito um post sobre ele , não pude deixar de comentar a Trilha Sonora.  A história se passa durante muitos anos e a música evolui com ela. Nem preciso dizer que achei esse fato fantástico. Além disso, os nomes variam entre artistas famosos como Beyoncé a outros não tão conhecidos assim, mas incríveis igualmente.  Ah, tem até composição instrumental, que super combina com os momentos das cenas. Resolvi escolher as minhas favoritas e colocar aí embaixo para vocês ouvirem e amarem tanto quanto eu estou amando (:  Algumas delas você só vai gostar mesmo se assistir o filme haha (já falei como é bom lembrar de uma cena ao ouvir uma música).  Lily Allen - Littlest Things Elliott Smith - Son of Sam Lily Allen - Fuck You Kodaline - High Hopes KT Tunstall - Suddenly I See Beyoncé - Crazy in Love G

Os Signos dos Cantores

Música é uma das melhores coisas da minha vida e acredito que na de muita gente também. Ela está presente em diversos lugares e nas mais diversas línguas, mas na última semana ela está ainda mais em evidência aqui no Brasil. Sim, estou falando do Rock in Rio ♥  Inspirada nessa vibe musical, decidi fazer um post sobre os cantores, mas de um jeitinho diferente. Quem me conhece, sabe que eu amo astrologia e, geralmente, acho alguma semelhança entre pessoas do mesmo signo.  Então, para celebrar a minha mania de procurar o aniversário dos cantores, resolvi reunir muitos deles em um post :) Lembrando que podem existir diferenças nos perfis que eu descrevi, dependendo do ascendente e da posição das casas , okay? Agora vai lá, ler :P Áries Os arianos são conhecidos por iniciar, colocar em prática coisas que ainda não foram realizadas. E que, por esse motivo, sempre são lembrados por seus feitos.  Áries é o tempo de começos e isso fica ainda mais evidente ao observarmos

Você sabe o que é Guilty Pleasure?

Há alguns anos atrás, vi a seguinte expressão em uma série (tá, foi em Glee): Guilty Pleasure . A tradução livre explica que ela se refere a algo que você gosta, mas que não é considerada como algo legal/bacana na sociedade, f azendo com que você se sinta meio culpado/envergonhado por isso.  Confesso que eu sou a rainha do Guilty Pleasure , gosto de tanta coisa que é considerada boba, que olha, a lista é grande. Desde cantores pop a séries consideradas ruins. O legal de esconder esses gostos da maioria das pessoas é encontrar gente que te entenda (te aceite haha) e que compartilhe a mesma paixãozinha secreta com você.  E olha, quando isso acontece, é extremamente libertador poder ouvir (sem vergonha) aquela música que todo mundo zoa :)  Pensando nisso tudo, resolvi fazer uma lista de coisas que se encaixam nessa expressão e assumir (nem que seja aqui no blog) algumas delas. Quem sabe um dia eu não assumo na vida real também? haha. Musicais Desde a primeira vez que

Vestibular: Os Melhores Sites de Exercícios

Sim, eu sei que faz muito tempo que eu não faço posts sobre Vestibular , mas vamos mudar isso! Depois que tranquei a faculdade , tenho tido mais tempo para me dedicar ao estudo, o que consequentemente me fez resolver mais exercícios.  Como tenho um número limitado de livros com questões, resolvi procurar uma boa parte na internet. Parece fácil, mas existem poucos sites realmente bons nisso. Por esse motivo, decidi fazer uma lista com os melhores links que encontrei por aí sobre o assunto ;)  Brasil Escola Costumo comparar o Brasil Escola com o nível 1 de um vídeo-game. As questões são ligeiramente mais fáceis e contém, além do gabarito, resoluções passo-a-passo dos exercícios (quando a matéria é da área de exatas).  Gosto de usar o site nas matérias que eu tenho MUITA dificuldade (leia-se matemática, física e química).  É legal, porque como as questões são mais "fáceis", acabam priorizando os conceitos de determinada matéria, sabe? Desse jeito, você acaba

Awesome do Mês: Dezembro

Dezembro foi o mês de fazer planos, não só para o ano seguinte, mas para o futuro no geral. Confesso que tenho algumas ideias que estou louca para testar aqui no blog :) Como eu vou explicar mais abaixo, fui muito influenciada pela empreendedora Bel Pesce, nesse mês. Comecei assistir seus vídeos e ela me inspirou a mudar um pouquinho as coisas ao meu redor. Então, estou animada para esse ano :)  Durante dezembro, fiz algumas retrospectivas sobre 2015: uma sobre minhas descobertas musicais e outra em vídeo sobre o que aprendi nesse período . Também escrevi algumas crônicas: uma sobre não sermos os mesmos após um ano , outra sobre a importância dos erros e a última sobre como precisamos nos conhecer mais .  Ainda teve post com indicação de covers , filmes sobre família e contas do Instagram :) Bom, 2016 já bateu na nossa porta e agora nos resta correr atrás de todas as promessas que nós fizemos no ano novo.  Que a gente consiga conquistar um sonho de cada vez \o/ P