sábado, 7 de fevereiro de 2015

Curso de Férias: Como Falar em Público?

As minhas aulas voltaram ontem (acredito que as de vocês também já tenham voltado), porém semana passada eu participei de um curso de férias que a faculdade forneceu. Ele falava sobre Oratória de Alta Performance (que é uma forma eficiente de se comunicar) e ensinava técnicas para se falar em público, saber se expressar e outras meios para driblar as dificuldades ao se expressar.

Confesso que eu tenho um MEDO básico de apresentações, mesmo fazendo teatro, nunca fui daquelas que fica super á vontade para falar o que pensa na frente de muita gente. Estou tentando mudar isso, já que ele meio que tem atrapalhado a minha vida. 

Foram apenas quatro horinhas e o palestrante/professor era um cara formado em Direito que havia se especializado em Psicologia. Eu esperava aprender alguns truques no curso para poder aplicar no meu dia-a-dia, o que deu super certo. Olha aí algumas das dicas que eu aprendi.


Deu Branco
Sabe quando você está no meio da sua apresentação e de repente, seu cérebro se esquece do que deveria dizer? Você até sabe o que precisa falar, só que por algum motivo não consegue alcançar a informação. Geralmente, é nessa hora que você começa a reparar no rosto das pessoas e em como elas estão ou não prestando atenção ao que você diz.

Quando isso acontecer, não peça desculpas ou dê um ataque, isso só fará com que todos tenham certeza de que há algo errado. Apenas faça cara de inteligente, como se quisesse preparar o público para o que você dirá em seguida. Com essa estratégia, você ganha tempo para se lembrar do que esqueceu. 

Mesmo que seja uma longa pausa, sua postura dirá tudo. E não se preocupe em fazer slides com alguns textos sobre o que você vai falar (desde que não sejam gigantes), contanto que não leia, é legal ter uma "colinha" neles, já que não há necessidade de decorar tudo. Você só precisa de mais confiança para explicar o que já sabe.

Divisão da Mensagem
Vocês ficam perdidos sobre como devem passar uma informação? Em uma apresentação, você tem que seguir uma certa linha de raciocínio, se quiser que ela faça sentido. O palestrante explicou uma estrutura bacana. 

Devemos sempre começar com a Introdução, onde falamos quem somos e o que vamos dizer. No desenvolvimento, a gente diz o que havia prometido na Introdução. E na Conclusão, nós falamos o que havíamos dito no desenvolvimento. Bem simples, né? haha. Pior que faz sentido. 

Divisão do Tempo
Você sabia que nós falamos 150 palavras por minuto? Agora pense naquela palestra/apresentação que a pessoa fala, fala e não acaba nunca. Imagina a quantidade de palavras que foram usadas. Ele deu uma super dica sobre isso. 

A gente deve utilizar de 10/15% do tempo disponível para falar a nossa Introdução, 80% para o nosso Desenvolvimento e os outros 10/15% para a Conclusão. Achei incrível, já que tenho um certo probleminha em resumir as coisas ao falar. Coloquei em prática no último vídeo que eu fiz para o blog, e deu muito certo, a quantidade de minutos diminuiu drasticamente.

Adaptação da Linguagem
Esta eu já havia percebido no dia-a-dia. Eu geralmente mudo a forma com que eu falo (usando ou não gírias, mencionando certas coisas ou ignorando outras) de acordo com a pessoa com que falo. Eu, você e todo mundo fazemos isso para prender a atenção de quem está ouvindo a gente. 

Se você fala com adolescentes, precisa usar um tipo de linguagem. Se fala com empresários, a forma muda completamente. Enfim, a mensagem pode ser a mesma, porém é entregue de diferentes formas para quem a recebe.

E aí gostaram? Espero que elas tenham ajudado alguém que tenha um certo problema em se comunicar. Elas me ajudaram, esperemos novas mudanças hehe. Me contem se vocês também tem pavor de falar em público, queria saber se eu não sou a única. 

Até um próximo post!

Fotos: We Heart It 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...