Pular para o conteúdo principal

Ares do Inverno

Tá tudo vazio. O quarto, a sala, até  mesmo o plano de fundo do computador. Os pedaços do espelho quebrado já foram para o lixo, as roupas velhas já foram doadas. Cada um já está no seu lugar. Seja na sua gaveta predileta da cômoda ou numa cidade pequena esquecida em um estado diferente do seu.

Pode parecer estranho, mas depois de um tempo, você percebe que nada pertence a ninguém. Objetos, sentimentos e pessoas. A gente costuma analisá-los como se fossem todos sólidos e palpáveis, mas o que não sabemos é que todos são feitos de Ar. E ninguém é capaz de segurá-lo, contê-lo ou guardá-lo.

Ele tem vida e vontade própria, apesar do que você acha que sabe. Não adianta mergulhar de cabeça na ideia de que as coisas são estáveis e obedecem a uma ordem. Isso não existe. A psicologia pode até tentar, mas não existe uma lógica verdadeira que explique o que há dentro de cada um.

Podemos andar pelas ruas, observar o mar e achar que podemos controlar o universo ou ainda fingirmos que somos os donos do mundo. Mas a verdade é que não possuímos poder nem mesmo sobre nós mesmos.

Nos vemos maduros, imaturos, loucos, tranquilos em um curto intervalo de tempo. Vivemos em meio a tantas características opostas que nos combinamos como um elemento químico pronto para ser descoberto, transformado e destruído.

Acho que no fim, a gente se acostuma. Com o coração cheio, vazio, bagunçado. Aprendemos aos poucos, uma lição de cada vez, a cuidarmos. Não do que é nosso (pois nada é), mas do que está ao nosso redor. 

Esse é o melhor aprendizado que podemos levar e o melhor é que ninguém pode tirá-lo de nós. Talvez o conhecimento não seja como o ar, que escapa pelos dedos, mas sim como a água, que fica retida nas superfícies do nosso corpo. 

Foto: We Heart It
Texto: Carol Chagas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é Guilty Pleasure?

Há alguns anos atrás, vi a seguinte expressão em uma série (tá, foi em Glee): Guilty Pleasure. A tradução livre explica que ela se refere a algo que você gosta, mas que não é considerada como algo legal/bacana na sociedade, fazendo com que você se sinta meio culpado/envergonhado por isso. 

Confesso que eu sou a rainha do Guilty Pleasure, gosto de tanta coisa que é considerada boba, que olha, a lista é grande. Desde cantores pop a séries consideradas ruins. O legal de esconder esses gostos da maioria das pessoas é encontrar gente que te entenda (te aceite haha) e que compartilhe a mesma paixãozinha secreta com você. 

E olha, quando isso acontece, é extremamente libertador poder ouvir (sem vergonha) aquela música que todo mundo zoa :) Pensando nisso tudo, resolvi fazer uma lista de coisas que se encaixam nessa expressão e assumir (nem que seja aqui no blog) algumas delas. Quem sabe um dia eu não assumo na vida real também? haha.
Musicais
Desde a primeira vez que assisti a um musical (foi Hi…

Trilha Sonora: Simplesmente Acontece

Não sei se vocês perceberam, mas eu meio que amei o filme Love, Rosie (Sim, prefiro o título original). Mesmo já tendo feito um post sobre ele, não pude deixar de comentar a Trilha Sonora. 
A história se passa durante muitos anos e a música evolui com ela. Nem preciso dizer que achei esse fato fantástico. Além disso, os nomes variam entre artistas famosos como Beyoncé a outros não tão conhecidos assim, mas incríveis igualmente. 
Ah, tem até composição instrumental, que super combina com os momentos das cenas. Resolvi escolher as minhas favoritas e colocar aí embaixo para vocês ouvirem e amarem tanto quanto eu estou amando (: 

Algumas delas você só vai gostar mesmo se assistir o filme haha (já falei como é bom lembrar de uma cena ao ouvir uma música). 

Lily Allen - Littlest Things
Elliott Smith - Son of Sam

Lily Allen - Fuck You

Kodaline - High Hopes
KT Tunstall - Suddenly I See
Beyoncé - Crazy in Love Gilbert O' Sullivan - Alone Again (Naturally)
Mimi & The Mad Noise Factory - Get Me Bac…

Os Signos dos Cantores

Música é uma das melhores coisas da minha vida e acredito que na de muita gente também. Ela está presente em diversos lugares e nas mais diversas línguas, mas na última semana ela está ainda mais em evidência aqui no Brasil. Sim, estou falando do Rock in Rio ♥ 
Inspirada nessa vibe musical, decidi fazer um post sobre os cantores, mas de um jeitinho diferente. Quem me conhece, sabe que eu amo astrologia e, geralmente, acho alguma semelhança entre pessoas do mesmo signo. 
Então, para celebrar a minha mania de procurar o aniversário dos cantores, resolvi reunir muitos deles em um post :) Lembrando que podem existir diferenças nos perfis que eu descrevi, dependendo do ascendente e da posição das casas, okay? Agora vai lá, ler :P
Áries
Os arianos são conhecidos por iniciar, colocar em prática coisas que ainda não foram realizadas. E que, por esse motivo, sempre são lembrados por seus feitos. 

Áries é o tempo de começos e isso fica ainda mais evidente ao observarmos os exemplos de cantores do si…

A Verdade Sobre os Desenhos

Como qualquer criança normal, eu passei minha infância assistindo desenhos (ainda assisto haha). Só que quando a gente cresce, passa prestar mais atenção ainda neles. Outro dia, eu descobri alguns significados ocultos de um desenho que eu assistia, e resolvi pesquisar MAIS sobre outros. Veja abaixo.

7 Monstrinhos O desenho era exibido na Tv Cultura. E quem era fã mesmo, tinha até a música de abertura decorada hehe. Tudo muito lindo, mas e se eu te dissesse que ele era uma crítica contra o nazismo? Isso mesmo. De acordo com algumas teorias, os 7 monstrinhos representariam a visão dos alemães sobre os judeus. 

Eles eram vistos como monstros, possuíam o nariz bem grande, e olha só que coincidência: No campo de concentração, eram identificados por Números. Um dos personagens usava um pijama listrado bem idêntico ao uniforme que os judeus que eram presos tinham que usar, e eles também moravam no sótão (local onde os judeus se escondiam). 
Bob Esponja Para o nosso querido Bob Calça Quadrada, tem…

não deixe o tesão morrer.

se tem uma coisa que eu procuro é sentir tesão nas coisas que eu faço. e quando falta, é tipo um relacionamento sem química: não vai pra frente. eu sou a rainha dos projetos paralelos. posso te mostrar uma lista de tudo que já passou pela minha cabeça e me fez acordar cedo e dormir tarde.
de tempos em tempos, chega uma ideia. e geralmente, eu abro a porta, deixo entrar, chamo pra comer brigadeiro e ver um filme. deixo ela se instalar aos poucos e, quando vejo, fui conquistada. se apaixonar por gente é muito bom, mas se apaixonar por ideias é uma delícia.
é como se encantar com uma versão tua que ainda não existe. é se descobrir bem aos pouquinhos. e descobrir é uma das minhas grandes paixões.
só que como o tempo abrevia tudo que existe nessa vida, não seria diferente aqui também. sou tão obstinada quanto instável, da mesma forma que mergulho, quando dou por mim, já não aguento mais ficar na água. é o preço da intensidade, meus amigos.
da mesma maneira que a gente precisa construir quando …

Quero falar com você.

"Entrei apressada pela entrada. Como se eu tivesse algo importante a fazer. Nem fiquei procurando por ninguém, já que eu nem conseguiria achar com essa linda miopia que eu tenho."
- Primeiro dia de Faculdade (28, Janeiro, 2014).

Hoje, 28 de janeiro, faz 5 anos que escrevi esse post acima e criei o "Fases de Alice". Na época, eu tinha 17 anos e acabara de entrar no curso de Comércio Exterior. Eu já havia tido - e abandonado - dois blogs, então confesso que eu achei que o mesmo fosse acontecer com esse aqui.
De lá pra cá, tanta coisa mudou. Tranquei a faculdade, mudei de curso - Publicidade o/ - e de cidade/estado. Mas uma continua a mesma: de tempos em tempos eu volto pra cá. Criei o blog pra tentar me entender, como uma espécie de terapia pública. E o efeito continua dando certo.
Cada um tem sua válvula de escape. Um lugar onde é bom despejar o que a gente sente, pensa e se é naquele momento. A escrita tem sido a minha forma de lidar com tudo há anos. E o blog me ajudo…

Awesome do Mês: Dezembro

Dezembro foi o mês de fazer planos, não só para o ano seguinte, mas para o futuro no geral. Confesso que tenho algumas ideias que estou louca para testar aqui no blog :)
Como eu vou explicar mais abaixo, fui muito influenciada pela empreendedora Bel Pesce, nesse mês. Comecei assistir seus vídeos e ela me inspirou a mudar um pouquinho as coisas ao meu redor. Então, estou animada para esse ano :) 
Durante dezembro, fiz algumas retrospectivas sobre 2015: uma sobre minhas descobertas musicais e outra em vídeo sobre o que aprendi nesse período. Também escrevi algumas crônicas: uma sobre não sermos os mesmos após um ano, outra sobre a importância dos erros e a última sobre como precisamos nos conhecer mais
Ainda teve post com indicação de covers, filmes sobre família e contas do Instagram :) Bom, 2016 já bateu na nossa porta e agora nos resta correr atrás de todas as promessas que nós fizemos no ano novo. 
Que a gente consiga conquistar um sonho de cada vez \o/ Pronto, agora podem ver as minh…

Me deixa ser roda gigante

Eu sou céu. Você é chão. Eu sou inconstante e mudo de opinião toda hora. Você finge que sabe o que quer. Te sinto perto longe. Mas volta e meia, deixo de te sentir. A distância existe de várias formas. Mas a mais dolorida é a que tem a ver com o coração. 
Talvez eu te ame do jeito de alguém que nunca experimentou um sentimento forte como este. Por falta de oportunidade, de coragem. Não sei o que se passa lá fora, muito menos o que acontece aqui dentro. 
Mas sei que a angústia tem me acompanhado. A falta de definição das coisas sempre me incomodou, mas tentei fingir que tudo estava bem. E que eu não me importava. Mas eu me importo. 
Certas coisas não mudam e a minha essência é uma delas. Eu tô cansada. De sentir, pra logo depois ter que esquecer. De sempre ter que aguardar o que vai acontecer. Eu não aguento mais não poder confiar. 
Talvez o problema esteja aqui ou talvez seja aí. Eu não faço a menor ideia. Só sei que eu cansei de tentar entender. É como aquele exercício de matemática da p…