Pular para o conteúdo principal

começar sem acabar e acabar sem começar

de longe, consigo ver três livros que comecei ano passado e que nunca nem cheguei a saber como acabavam. 

cada objeto na mesinha do meu quarto grita uma coisa ainda incompleta. o hd, esperando a tão sonhada organização das fotos; o livro novo esperando ser lido; o caderno de anotações (que eu prometi escrita todos os dias) não vê um escrito já faz tempo.

um a um, eles somam algumas de minhas vontades que não foram pra frente.

e esses são só exemplos palpáveis, terrenos e mundanos. ainda tem aqueles que não são muito específicos, são ideias, desejos e histórias que mereciam um desfecho ou talvez até uma continuação. mereciam mais do que apenas serem abandonados num canto esquecido.

mas será que tudo realmente precisa caminhar para algum lugar?

sinto que estou tão acostumada a ler, ouvir e assistir histórias que se constroem sobre um tempo com começo, meio e fim, que me esqueço que a cronologia real nem sempre é como achamos. 

algumas pontas soltas se deixam soltar por anos, antes de mostrarem o porquê de existir. algumas coisas não são resolvidas por outros, porque precisam ser resolvidas por nós mesmos. 

e a vida, felizmente ou infelizmente - deixo em aberto para cada caso -, não obedece a leis roteirísticas. ela tem seu fluxo imprevisível, que flui até que não possa mais fluir. não é sobre você ler ou não aquele livro, nem sobre você processar aquela história que deixou de viver.

é sobre precisar de ponto pra começar. daquela virada de ano barulhenta pra entender o silêncio do dia 1 como recomeço. mesmo sabendo que o ontem e o hoje em 20/21 se misturam. é sobre conciliar lugares e amarrar enredos, na ânsia de que a estrutura esteja completa. mesmo sabendo que o seu recorte deixou um mundo de outras coisas de fora. 

eu nem sempre sei acabar o que eu começo. 

às vezes até sei, mas não sinto vontade. sinto é medo. e vou fazendo uma pilha para mais tarde, até que a noite do ano seguinte chegue e eu já nem me lembre de como aquilo deveria acabar. 

e depois de tanto tempo, me pergunto: ainda vale a pena dar um fim para o que já se pontuou sozinho?

não existe regra. o que existem são duas histórias. a que começa e termina e a que acaba sem saber quando acabou. 

e eu não faço a mínima ideia de como finalizar esse texto, portanto, vou deixá-lo na pilha da mesinha do quarto.
--------------------------------------------------------------
- Para mais crônicas como esta, clique aqui.








Texto e Foto: Carol Chagas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é Guilty Pleasure?

Há alguns anos atrás, vi a seguinte expressão em uma série (tá, foi em Glee): Guilty Pleasure . A tradução livre explica que ela se refere a algo que você gosta, mas que não é considerada como algo legal/bacana na sociedade, f azendo com que você se sinta meio culpado/envergonhado por isso.  Confesso que eu sou a rainha do Guilty Pleasure , gosto de tanta coisa que é considerada boba, que olha, a lista é grande. Desde cantores pop a séries consideradas ruins. O legal de esconder esses gostos da maioria das pessoas é encontrar gente que te entenda (te aceite haha) e que compartilhe a mesma paixãozinha secreta com você.  E olha, quando isso acontece, é extremamente libertador poder ouvir (sem vergonha) aquela música que todo mundo zoa :)  Pensando nisso tudo, resolvi fazer uma lista de coisas que se encaixam nessa expressão e assumir (nem que seja aqui no blog) algumas delas. Quem sabe um dia eu não assumo na vida real também? haha. Musicais Desde a primeira vez que

Trilha Sonora: Simplesmente Acontece

Não sei se vocês perceberam, mas eu meio que amei o filme Love, Rosie (Sim, prefiro o título original). Mesmo já tendo feito um post sobre ele , não pude deixar de comentar a Trilha Sonora.  A história se passa durante muitos anos e a música evolui com ela. Nem preciso dizer que achei esse fato fantástico. Além disso, os nomes variam entre artistas famosos como Beyoncé a outros não tão conhecidos assim, mas incríveis igualmente.  Ah, tem até composição instrumental, que super combina com os momentos das cenas. Resolvi escolher as minhas favoritas e colocar aí embaixo para vocês ouvirem e amarem tanto quanto eu estou amando (:  Algumas delas você só vai gostar mesmo se assistir o filme haha (já falei como é bom lembrar de uma cena ao ouvir uma música).  Lily Allen - Littlest Things Elliott Smith - Son of Sam Lily Allen - Fuck You Kodaline - High Hopes KT Tunstall - Suddenly I See Beyoncé - Crazy in Love G

A Verdade Sobre os Desenhos

Como qualquer criança normal, eu passei minha infância assistindo desenhos (ainda assisto haha). Só que quando a gente cresce, passa prestar mais atenção ainda neles. Outro dia, eu descobri alguns significados ocultos de um desenho que eu assistia, e resolvi pesquisar MAIS sobre outros. Veja abaixo. 7 Monstrinhos O desenho era exibido na Tv Cultura. E quem era fã mesmo, tinha até a música de abertura decorada hehe. Tudo muito lindo, mas e se eu te dissesse que ele era uma crítica contra o nazismo? Isso mesmo. De acordo com algumas teorias, os 7 monstrinhos representariam a visão dos alemães sobre os judeus.  Eles eram vistos como monstros, possuíam o nariz bem grande, e olha só que coincidência: No campo de concentração, eram identificados por Números. Um dos personagens usava um pijama listrado bem idêntico ao uniforme que os judeus que eram presos tinham que usar, e eles também moravam no sótão (local onde os judeus se escondiam).  Bob Esponja Para o nosso que

Os Signos dos Cantores

Música é uma das melhores coisas da minha vida e acredito que na de muita gente também. Ela está presente em diversos lugares e nas mais diversas línguas, mas na última semana ela está ainda mais em evidência aqui no Brasil. Sim, estou falando do Rock in Rio ♥  Inspirada nessa vibe musical, decidi fazer um post sobre os cantores, mas de um jeitinho diferente. Quem me conhece, sabe que eu amo astrologia e, geralmente, acho alguma semelhança entre pessoas do mesmo signo.  Então, para celebrar a minha mania de procurar o aniversário dos cantores, resolvi reunir muitos deles em um post :) Lembrando que podem existir diferenças nos perfis que eu descrevi, dependendo do ascendente e da posição das casas , okay? Agora vai lá, ler :P Áries Os arianos são conhecidos por iniciar, colocar em prática coisas que ainda não foram realizadas. E que, por esse motivo, sempre são lembrados por seus feitos.  Áries é o tempo de começos e isso fica ainda mais evidente ao observarmos

Vestibular: Os Melhores Sites de Exercícios

Sim, eu sei que faz muito tempo que eu não faço posts sobre Vestibular , mas vamos mudar isso! Depois que tranquei a faculdade , tenho tido mais tempo para me dedicar ao estudo, o que consequentemente me fez resolver mais exercícios.  Como tenho um número limitado de livros com questões, resolvi procurar uma boa parte na internet. Parece fácil, mas existem poucos sites realmente bons nisso. Por esse motivo, decidi fazer uma lista com os melhores links que encontrei por aí sobre o assunto ;)  Brasil Escola Costumo comparar o Brasil Escola com o nível 1 de um vídeo-game. As questões são ligeiramente mais fáceis e contém, além do gabarito, resoluções passo-a-passo dos exercícios (quando a matéria é da área de exatas).  Gosto de usar o site nas matérias que eu tenho MUITA dificuldade (leia-se matemática, física e química).  É legal, porque como as questões são mais "fáceis", acabam priorizando os conceitos de determinada matéria, sabe? Desse jeito, você acaba

Quero falar com você.

(dos tempos em que ainda a URL era blogspot.com.br) "Entrei apressada pela entrada. Como se eu tivesse algo importante a fazer. Nem fiquei procurando por ninguém, já que eu nem conseguiria achar com essa linda miopia que eu tenho." - Primeiro dia de Faculdade (28, Janeiro, 2014). Hoje, 28 de janeiro, faz 5 anos que escrevi esse post acima e criei o "Fases de Alice". Na época, eu tinha 17 anos e acabara de entrar no curso de Comércio Exterior. Eu já havia tido - e abandonado - dois blogs, então confesso que eu achei que o mesmo fosse acontecer com esse aqui. De lá pra cá, tanta coisa mudou. Tranquei a faculdade , mudei de curso - Publicidade o/ - e de cidade/estado. Mas uma continua a mesma: de tempos em tempos eu volto pra cá. Criei o blog pra tentar me entender, como uma espécie de terapia pública. E o efeito continua dando certo. Cada um tem sua válvula de escape. Um lugar onde é bom despejar o que a gente sente, pensa e se é naquele momen

Séries que se Passam na Faculdade

Nesse ano, eu entrei na faculdade (: E juro que, no minuto em que eu entrei no lugar, me lembrei de todas as cenas que eu já tinha visto dos meus personagens favoritos passando pela mesma coisa. A adaptação na nova fase, as histórias, as matérias, os estágios e empregos, e por fim, a chegada da tão sonhada profissão.  Pensando nisso, resolvi fazer uma listinha das séries que já mostraram a passagem da adolescência para a vida adulta. Devem haver mais, mas eu só lembrei destas. Qualquer coisa comentem, me lembrando de outras. Gossip Girl É claro que Gossip Girl não poderia faltar nessa lista. A Partir da terceira temporada, a série tem como cenário a NYU, com Dan, Vanessa, Georgina e Blair (para sua infelicidade) ingressando na faculdade.  Na quarta temporada, o foco muda para Columbia, onde Serena, Blair e Chuck vão estudar com Nate. Irmandades, festas, competição por estágios, namoro com professores (Serena), e looks incríveis fazem parte dessa nova fase. Glee

Livro: Pollyanna

Foto: Carol Chagas Sinopse O livro Pollyanna conta a história de uma garota de seis anos, que acabou de perder o pai. Ele era pastor e ela foi criada por ele e pelas freiras, já que sua mãe já havia morrido. Após ficar órfã, um dos ajudantes da igreja localiza uma tia distante da garota, irmã de sua mãe. O único problema é que Miss Polly, sua tia, é uma mulher amargurada e ranzinza que a aceita em sua casa, para cumprir seu dever de irmã, apenas por esse motivo. A história conta como a garota pode superar até a maior das dificuldades em sua vida. O livro foi escrito em 1913, e conta de uma forma encantadora o otimismo inabalável de Pollyanna. Acredito que a história seja atemporal, é um livro de auto-ajuda com uma história cativante. A garota de apenas seis anos sabe o valor da vida, e de importante lições. Coisa que muita gente morre sem descobrir. Recomendo o livro para todas as idades. Pollyana cativa o leitor com seu Jogo do Contente, onde precisamos encontrar o lado