segunda-feira, 11 de maio de 2015

Sobre Desistir de Algo

Eu sempre fui do tipo que não desiste de nada. Por mais desagradável que tudo fosse, algo em mim não permitia que eu pulasse fora. Cursos, esportes, escolas. As coisas eram concluídas ou não existia um meio possível para mantê-las. 

Eu nunca escolhia não fazer mais parte delas. Mesmo que eu não estivesse satisfeita. Não importava, eu não era uma desistente. 

Pessoas que se demitiam, largavam cursos, terminavam relacionamentos. Sempre acreditei que todas elas não possuíam força de vontade, não lutavam por algo e não sabiam o que estavam fazendo com suas vidas. 

Aquela garota de 12 anos cresceu e paga sua língua até hoje. Durante essa semana (sem posts infelizmente) não consegui fazer absolutamente nada. Sabe quando você sente que o piloto automático não funciona mais? 

Eu sabia que algo estava errado. Estava há muito tempo sem escrever, algo que só perde para o tempo que eu respiro e estudo. E pra quem leu a minha bio, sabe que essa atividade é uma espécie de terapia pra eu me entender nesse mundo doido. 

Mas se eu não consigo passar isso para o papel, parece que os problemas vão se acumulando até que eu não seja mais capaz de lidar com eles. Essa crise me fez perceber que estava na hora de mudar, de chutar o balde, o pau da barraca, das mesas e das cadeiras. 

Estava na hora de desistir. Não de tudo, mas daquilo que não me fazia bem. E olha, não é tão fácil identificar isso na nossa própria vida. E apesar disso, é preciso que isso seja feito apenas por nós mesmos. Uma escolha nossa e de mais ninguém. 

Decidi trancar a faculdade que comecei no ano passado. Eu nunca gostei do curso, mas sempre ignorei esse fato. Porém ultimamente, as matérias passaram a se aprofundar mais e a quantidade de trabalhos só tem aumentado, o que fez com que eu chegasse a uma conclusão: parecia perda de tempo me dedicar a algo que não pretendo seguir como carreira. 

Sonho em cursar algo ligado á criatividade (Comunicação Social se encaixa nesse requisito) e digamos que Comércio Exterior não tenha nada a ver com isso. Assim como eu não tenho. Sempre soube, mas o mantinha como meu plano B.

Porém esse estava tomando muito o meu tempo, me tirando a chance de realizar o A (que é passar no vestibular). Eu posso me arrepender e não conseguir o que eu desejo. Ou conseguir e não for o que eu sempre sonhei. Mas eu preciso tentar. Prefiro me arriscar agora, do que largar tudo quando já for bem mais velha. 

Não quero mais perder o meu tempo. Descobri que ele é muito valioso pra ficar fazendo algo que eu não gosto. Não é todo mundo que tem essa oportunidade, por isso resolvi aproveitar. Terminarei o semestre, afinal dediquei 4 meses de 2015 a ele (e falta apenas um mês para as férias). 

E assumirei pra valer o posto de vestibulanda e por ter mais tempo, também me dedicarei mais ao blog (: Me sinto vazia sem usar esse espacinho virtual tão meu ♥ 

Se você também está passando pela mesma situação, saiba que desistir de algo que não te faz bem, seja a faculdade, o emprego ou um namoro, não é sinal de fraqueza. Mas sim de força. Você sabe o que não quer pra sua vida e apenas está tentando dá-la uma direção. Em vez de apenas se acostumar com o rumo ao qual ela está sendo levada. 

Você está em movimento, tem coisa melhor que isso? Muita sorte pra mim e pra quem mais estiver se arriscando! É NÓIS 

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It

3 comentários:

  1. Adorei o texto!
    Eu já desisti de poucas coisas na minha vida, a maior parte delas pelos meus problemas de saúde... Recentemente recuperei uma e me sinto realmente realizada, só gostaria de poder recuperar tudo que um dia deixei para trás.

    http://meubaudeestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo completamente, confesso que penso em voltar a nadar todos os dias (algo que eu tive que desistir também), mas por enquanto nada haha. Fico feliz que tenha conseguido trazer uma coisa da qual você gosta de volta para sua vida :))

      Excluir
  2. Carol, vi seu vídeo no youtube e me identifiquei demais.
    Primeiro que estou largando a segunda faculdade (fiz publicidade e propaganda e agora curso arquitetura e urbanismo), segundo porque desistir não é fácil, terceiro que carrego o peso dos meus pais.
    Acho que quando saímos da escola as pessoas impõe um peso muito grande sobre faculdade, coisa que vc não tem maturidade o suficiente pra descobrir aos 17 anos. E se vc para, se vc tranca, a pergunta em seguida sempre é "qual vc quer fazer?" como se vc fosse obrigada a cursar, como se não pudesse apenas trabalhar até se achar. Por que não?

    Não sei o que quero, não sei se tranco até formar uma opinião, não sei se tranco e vou fazer contabilidade (ramo do meu pai) que seria uma opção pra me encaixar no serviço. Ou se chuto o balde e volto pra PP (larguei pq moro á 500km de SP, em uma cidade com 8 mil hab e o mercado pra publicidade é muito fraco.)

    E a pior coisa: a culpa. Por ser ignorante ao ter noção que existem pessoas não cursando por falta de dinheiro e eu aqui, trancando pela segunda vez. Por estar perdendo tempo, dinheiro (sou eu quem pago) e decepcionando.

    Tenho certeza que quando colocar as cartas na mesa pro meu pai a coisa vai ficar feia, rs.
    Mas obrigada pela força que transmitiu no vídeo e desculpa o desabafo.

    Boa noite!!!

    ResponderExcluir

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...