Pular para o conteúdo principal

TOP 5: Mulheres que fazem a diferença

Ser mulher nunca foi tão discutido quanto atualmente. Com a internet, parece que a propagação de ideias como o feminismo e até o mesmo o fato de expressarmos mais o que pensamos se tornou mais frequente. O que é ótimo, já que todas buscamos a mesma coisa: a igualdade de direitos.

Aproveitando que hoje é o Dia Internacional da Mulher, quero parabenizar todas as mulheres que buscam ser elas mesmas, independentemente da situação em que estão inseridas. Pensando em um modo de lembrar o quão fortes podemos ser, decidi fazer uma lista de 5 mulheres que nos representaram no mundo.  

Quando você tiver aquela vontadezinha de desistir, lembre-se de uma ou outra mulher que passou pelo mesmo (ou por uma situação pior) que você e deu a volta por cima. Inspirem-se com as histórias abaixo :)

Oprah Winfrey
A apresentadora mais famosa dos Estados Unidos teve uma vida pra lá de difícil. Era filha de pais separados e foi criada até os 6 anos pela avó rigorosa. Quando passou a morar com sua mãe, foi molestada por parentes. 

Apesar de tudo isso, conseguiu se focar nos estudos e passou para uma escola pública. Engravidou de seu primeiro namorado, aos 15, e este não assumiu o bebê. A jovem entrou em depressão e ao entrar em trabalho de parto, seu filho não sobreviveu, o que agravou seu estado.

Oprah superou todas estas dificuldades e passou a se focar ainda mais em sua carreira, encontrando diversos trabalhos na mídia. Passou a apresentar o programa The Oprah Winfrey Show, que permaneceu por 25 anos no ar. Além de apresentadora, Oprah também é empresária, escritora e atriz. 

Joana D' Arc
Joana desde pequena, afirmava ouvir vozes divinas que lhe diziam para salvar a França da Inglaterra na Guerra dos 100 anos. Ao conseguir ver o Rei, ela o convence de sua missão, e esse a concede a liderança de um exército. 

Mesmo conquistando algumas cidades, a jovem foi capturada e vendida aos ingleses, que a acusaram de bruxaria e heresia, queimando-a em uma fogueira. Alguns anos depois de sua morte, a guerra teve um fim. 

Não se sabe se Joana é um mito ou verdade, mas não deixa de ser interessante a ideia de transformar uma mulher em heroína, principalmente na idade média. A jovem foi canonizada no século XIX e considerada a padroeira da França.

Maya Angelou
Maya foi estuprada pelo namorado da mãe, o que a levou a ficar muda durante muitos anos. Ela só reencontrou sua voz com o apoio de uma vizinha e pela descoberta de seu amor pela literatura. 

Lutou pelos direitos civis ao lado de Martin Luther King Jr. e Malcolm X, além de fazer parte de vários movimentos de independência na África. Ela também foi a primeira mulher negra a ser motorista de ônibus em São Francisco e a ser roteirista e diretora em Hollywood. Poetisa, professora, jornalista, cantora, dançarina e escritora, Maya trabalhou até o fim de sua vida.

Amelia Earhart
A incrível aviadora se mostrou uma menina aventureira desde a infância. Escalava árvores, caçava ratos e descia encostas de trenó com sua irmã. Durante toda sua juventude, ela ansiava por sua carreira, inclusive mantendo um álbum com recortes de jornal sobre mulheres que obtinham sucesso em profissões predominantemente masculinas.

Amelia iniciou diversas faculdades, mas parecia nunca saber o que realmente queria fazer. Quando visitou um campo de pouso com seu pai e um dos pilotos a proporcionou um voo de 10 minutos, ela entendeu que precisava voar. 

Trabalhou em diversos lugares para ter aulas de voo. Amelia quebrou diversos recordes, porém desapareceu ao tentar dar a volta ao redor do globo. O que faz com que a gente morra de curiosidade sobre o que realmente aconteceu com ela.
                                                                                   
Rosa Parks
A segregação racial nos Estados Unidos era extremamente forte e rígida, além de ser considerada lei nos anos 50. No estado do Alabama, existia uma regra em que se haviam bancos para negros e brancos no ônibus. Se algum branco estivesse em pé, um negro teria que levantar para que o outro sentasse. 

Em uma determinada noite, Rosa estava sentada em um banco reservado para negros, quando brancos entraram no ônibus e permaneceram em pé. O motorista ordenou que ela e os outros negros levantassem, mas Rosa não levantou. Chegou a ser presa (já que estava infringindo uma lei) e virou o estopim do Movimento dos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos. 


É claro que existem diversas mulheres que foram (e são) incríveis, mas como precisava escolher poucas, decidi contar as histórias das minhas favoritas. Espero que vocês tenham gostado e que se lembrem de que se acreditarmos em nós mesmas e mostrarmos ao mundo do que somos capazes, todos poderão ver que somos tão brilhantes quanto os homens.

Parabéns a todas as mulheres que fazem a diferença. Elas possuem o poder de transformar a nossa realidade.

Até um próximo post!

Fotos: Google Imagens

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trilha Sonora: Simplesmente Acontece

Não sei se vocês perceberam, mas eu meio que amei o filme Love, Rosie (Sim, prefiro o título original). Mesmo já tendo feito um post sobre ele, não pude deixar de comentar a Trilha Sonora. 
A história se passa durante muitos anos e a música evolui com ela. Nem preciso dizer que achei esse fato fantástico. Além disso, os nomes variam entre artistas famosos como Beyoncé a outros não tão conhecidos assim, mas incríveis igualmente. 
Ah, tem até composição instrumental, que super combina com os momentos das cenas. Resolvi escolher as minhas favoritas e colocar aí embaixo para vocês ouvirem e amarem tanto quanto eu estou amando (: 

Algumas delas você só vai gostar mesmo se assistir o filme haha (já falei como é bom lembrar de uma cena ao ouvir uma música). 

Lily Allen - Littlest Things
Elliott Smith - Son of Sam

Lily Allen - Fuck You

Kodaline - High Hopes
KT Tunstall - Suddenly I See
Beyoncé - Crazy in Love Gilbert O' Sullivan - Alone Again (Naturally)
Mimi & The Mad Noise Factory - Get Me Bac…

Os Signos dos Cantores

Música é uma das melhores coisas da minha vida e acredito que na de muita gente também. Ela está presente em diversos lugares e nas mais diversas línguas, mas na última semana ela está ainda mais em evidência aqui no Brasil. Sim, estou falando do Rock in Rio ♥ 
Inspirada nessa vibe musical, decidi fazer um post sobre os cantores, mas de um jeitinho diferente. Quem me conhece, sabe que eu amo astrologia e, geralmente, acho alguma semelhança entre pessoas do mesmo signo. 
Então, para celebrar a minha mania de procurar o aniversário dos cantores, resolvi reunir muitos deles em um post :) Lembrando que podem existir diferenças nos perfis que eu descrevi, dependendo do ascendente e da posição das casas, okay? Agora vai lá, ler :P
Áries
Os arianos são conhecidos por iniciar, colocar em prática coisas que ainda não foram realizadas. E que, por esse motivo, sempre são lembrados por seus feitos. 

Áries é o tempo de começos e isso fica ainda mais evidente ao observarmos os exemplos de cantores do si…

5.

O reflexo da luz do poste na minha parede. O sol se pondo e iluminando o cabelo claro de minha amiga. As batidas frenéticas na porta quando nasce alguma novidade. O som no último volume - e ainda assim não alto o bastante - como trilha da limpeza. Os arco-íris que aparecem por tudo quanto é canto depois das 11h. Conversas dentro de minha casa que caminham horas a fio, até o dia se apagar lá fora. 
Quando morava com meus pais, meu lar eram vários lugares. O meu quarto. A parte de trás da porta do meu banheiro. A sacada. A cozinha durante a madrugada. Nesses espaços era onde eu mais me sentia viva. Como se eu pudesse me iluminar inteira de uma só vez. 
Hoje vejo que no meu lar há vida em todos os cantos. Minha. E de outros seres que, vez ou outra, resolvem fazer morada por aqui. Já mudei a mesa três vezes de lugar e, cada vez, tem mais gente de quem eu gosto ao redor dela. Minha casa é abrigo temporário. Casa de passagem. Retiro de memórias. E testemunha de transformações. 
Ela me viu em m…

9 Conselhos para 2019.

Cara eu do futuro,
1. Leve seus sonhos á sério. Os que você encontra quando foge desse plano e os que te tiram o sono de vez em quando. Você não precisa de um grande gesto ou de uma mudança radical pra começar. A constância, das suas ações, é muito mais importante do que a rapidez dos seus resultados. A evolução mora na disciplina e espero que você tenha feito morada nela também.
2. Não volte para a mesma pessoa, para o mesmo lugar ou para qualquer coisa esperando o mesmo sentimento. Não será igual. Então, não espere nada. E se possível, não volte. Rever é bom, mas você e eu sabemos que nós não sabemos lidar muito bem com revivals.
3. Abrace os seus fins. Os sinta e se emocione com cada um deles. Mas não se apegue á dor do que não mais será. Parece clichê, mas tente lembrar do começo que mora logo ao lado.
4. Você precisa ficar sozinha. Não sempre. Mas numa frequência considerável, dependendo do seu contexto. Você se sente bem quando o faz e se reconhece como gente. Também não fique muito…

E quando voltar vira costume?

Sou viciada em comer brigadeiro de panela nos dias tristes, desarrumar meu guarda-roupa nas manhãs corridas e participar de relacionamentos iô-iô quando tenho chance. Eu já fazia ideia da existência dos dois primeiros, mas o terceiro foi descoberto há pouco tempo. 
Eu acreditava que a culpa era das pessoas com quem eu me relacionava, mas só porque alguém bate na sua porta, não quer dizer que você precise atendê-la. Depois de algumas sessões na terapia, descobri um padrão emocional não-saudável existente nas minhas relações.  
Nos últimos 3 anos, tenho brincado de batata quente com todas as pessoas por quem me interesso. Elas somem e voltam, assim como eu. Existe uma fenda no tempo em que as coisas "dão certo", mas logo depois, bate um cansaço. Enjoo. Preguiça até. É como se tudo estivesse garantido. Confortável. Seguro demais.
Depois de um tempo, alguém sempre termina. E é aí que chega a liberdade. Eu me sinto solta. Desamarrada no universo e pronta pra conquistar tudo aquilo q…