domingo, 8 de março de 2015

TOP 5: Mulheres que fazem a diferença

Ser mulher nunca foi tão discutido quanto atualmente. Com a internet, parece que a propagação de ideias como o feminismo e até o mesmo o fato de expressarmos mais o que pensamos se tornou mais frequente. O que é ótimo, já que todas buscamos a mesma coisa: a igualdade de direitos.

Aproveitando que hoje é o Dia Internacional da Mulher, quero parabenizar todas as mulheres que buscam ser elas mesmas, independentemente da situação em que estão inseridas. Pensando em um modo de lembrar o quão fortes podemos ser, decidi fazer uma lista de 5 mulheres que nos representaram no mundo.  

Quando você tiver aquela vontadezinha de desistir, lembre-se de uma ou outra mulher que passou pelo mesmo (ou por uma situação pior) que você e deu a volta por cima. Inspirem-se com as histórias abaixo :)

Oprah Winfrey
A apresentadora mais famosa dos Estados Unidos teve uma vida pra lá de difícil. Era filha de pais separados e foi criada até os 6 anos pela avó rigorosa. Quando passou a morar com sua mãe, foi molestada por parentes. 

Apesar de tudo isso, conseguiu se focar nos estudos e passou para uma escola pública. Engravidou de seu primeiro namorado, aos 15, e este não assumiu o bebê. A jovem entrou em depressão e ao entrar em trabalho de parto, seu filho não sobreviveu, o que agravou seu estado.

Oprah superou todas estas dificuldades e passou a se focar ainda mais em sua carreira, encontrando diversos trabalhos na mídia. Passou a apresentar o programa The Oprah Winfrey Show, que permaneceu por 25 anos no ar. Além de apresentadora, Oprah também é empresária, escritora e atriz. 

Joana D' Arc
Joana desde pequena, afirmava ouvir vozes divinas que lhe diziam para salvar a França da Inglaterra na Guerra dos 100 anos. Ao conseguir ver o Rei, ela o convence de sua missão, e esse a concede a liderança de um exército. 

Mesmo conquistando algumas cidades, a jovem foi capturada e vendida aos ingleses, que a acusaram de bruxaria e heresia, queimando-a em uma fogueira. Alguns anos depois de sua morte, a guerra teve um fim. 

Não se sabe se Joana é um mito ou verdade, mas não deixa de ser interessante a ideia de transformar uma mulher em heroína, principalmente na idade média. A jovem foi canonizada no século XIX e considerada a padroeira da França.

Maya Angelou
Maya foi estuprada pelo namorado da mãe, o que a levou a ficar muda durante muitos anos. Ela só reencontrou sua voz com o apoio de uma vizinha e pela descoberta de seu amor pela literatura. 

Lutou pelos direitos civis ao lado de Martin Luther King Jr. e Malcolm X, além de fazer parte de vários movimentos de independência na África. Ela também foi a primeira mulher negra a ser motorista de ônibus em São Francisco e a ser roteirista e diretora em Hollywood. Poetisa, professora, jornalista, cantora, dançarina e escritora, Maya trabalhou até o fim de sua vida.

Amelia Earhart
A incrível aviadora se mostrou uma menina aventureira desde a infância. Escalava árvores, caçava ratos e descia encostas de trenó com sua irmã. Durante toda sua juventude, ela ansiava por sua carreira, inclusive mantendo um álbum com recortes de jornal sobre mulheres que obtinham sucesso em profissões predominantemente masculinas.

Amelia iniciou diversas faculdades, mas parecia nunca saber o que realmente queria fazer. Quando visitou um campo de pouso com seu pai e um dos pilotos a proporcionou um voo de 10 minutos, ela entendeu que precisava voar. 

Trabalhou em diversos lugares para ter aulas de voo. Amelia quebrou diversos recordes, porém desapareceu ao tentar dar a volta ao redor do globo. O que faz com que a gente morra de curiosidade sobre o que realmente aconteceu com ela.
                                                                                   
Rosa Parks
A segregação racial nos Estados Unidos era extremamente forte e rígida, além de ser considerada lei nos anos 50. No estado do Alabama, existia uma regra em que se haviam bancos para negros e brancos no ônibus. Se algum branco estivesse em pé, um negro teria que levantar para que o outro sentasse. 

Em uma determinada noite, Rosa estava sentada em um banco reservado para negros, quando brancos entraram no ônibus e permaneceram em pé. O motorista ordenou que ela e os outros negros levantassem, mas Rosa não levantou. Chegou a ser presa (já que estava infringindo uma lei) e virou o estopim do Movimento dos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos. 


É claro que existem diversas mulheres que foram (e são) incríveis, mas como precisava escolher poucas, decidi contar as histórias das minhas favoritas. Espero que vocês tenham gostado e que se lembrem de que se acreditarmos em nós mesmas e mostrarmos ao mundo do que somos capazes, todos poderão ver que somos tão brilhantes quanto os homens.

Parabéns a todas as mulheres que fazem a diferença. Elas possuem o poder de transformar a nossa realidade.

Até um próximo post!

Fotos: Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...