quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Playlist da Semana: Realidade?

Durante essa semana, descobri que minha falta de organização pode ter um motivo mais profundo, do que apenas incapacidade. Por algum motivo, que ainda desconheço, é como se a bagunça projetada no exterior refletisse meu interior.

Li isso em um texto que achei por acaso e não pude parar de pensar sobre o assunto. Será que todos os nossos hábitos e manias existem devido ao que pensamos sobre nós mesmos? Se isso for verdade, muita coisa pode ser esclarecida. 

Durante 2014 (Não, não é uma retrospectiva) inteiro, eu me senti dividida. Fazendo o que gostava feat. fazendo o que era "certo" feat. lutando por algo que eu quero. Eu só espero que isso chegue em algum lugar, sabe? 

E se não chegar, quero estar bem com isso também. A Playlist dessa Semana traz algumas músicas antigas, que me trazem boas lembrança de outra realidade. E outras novas que me fazem feliz no presente.

Avenged Sevenfold - Dear God

Alexz Johnson - That Girl

Jamie Scott - Unbreakable

Clooney - Sorry

Becky G - Shower

Kiesza - Sound Of A Woman

Madilyn Bailey - Chandelier

Leighton Meester - Heartstrings
E aí gostaram das músicas?

Foto: We Heart It

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Onde Está o Tempo?

O pingar da torneira me acorda. Não costumava ter sono leve, mas isso vem mudando há um tempo. Só que eu não sabia o motivo. Estou feliz e em paz. Então, por que meu corpo quer me convencer do contrário? 

Talvez ele não esteja se expressando muito bem ou eu devo estar tão absorta em meu interior, que não há espaço para outra preocupação. Deve ser um pouco dos dois. Existem momentos em que você se pergunta de onde vieram as suas verdades. De onde vem aquilo que você acredita e conhece a vida inteira?

Sabe a crise da meia idade? Resolvi antecipá-la para aos 17. Nada melhor do que sofrê-la no final da adolescência. Ás vezes sinto como se quisesse começar tudo de novo. Voltar lá na infância. Chorar menos, assistir mais desenhos e ir brincar mais na casa dos amiguinhos.

Acho que era o passado que não me deixava dormir. Sou do tipo que se apega a situações, pessoas e sentimentos. Estou tentando mudar isso aos poucos. Mas acho que tudo tem seu preço, não? Por que será que o pretérito imperfeito e o futuro do subjuntivo são mais interessantes do que o presente do indicativo?

A nossa memória pode ser a culpada. Ela é bem seletiva e só deixa entrar emoções fortes, impressões, sejam elas boas ou ruins. Acho que é por isso que sempre temos a impressão de que éramos mais felizes lá atrás. Agora, quanto ao futuro, coloco a culpa no cérebro, que adora nos iludir e criar expectativas.

É engraçado como ele nos controla, utilizando a felicidade. Ele faz você criar uma situação perfeita (e que é irreal), onde você pense que está feliz e não existem problemas. E isso faz com que a gente crie um fiozinho de esperança.

Nos agarramos a ele, por medo de nos desequilibramos nesse túnel do tempo. O grande problema é que quando vivenciamos a cena, ela não é como nós a imaginamos. E isso traz decepção. E se nós nem chegamos a vivenciá-la, traz mais tristeza ainda.

Queria achar um blog, um livro ou uma música que me dissesse como faz pra burlar esse sistema. Sou brasileira, dou meu jeitinho pra tudo. Por que com esse tal de cérebro seria diferente? 

Já tentei me ocupar e me distrair com outras coisas. Mas aquele fio de esperança insiste em me cutucar. Quase como me convidando a dar uma espiadinha. Seja para olhar pra trás ou para esforçar a minha vista (e a minha miopia) olhando demais pra frente. Será que é possível olhar somente para o Agora?

Escuto a torneira novamente. Levanto-me e a fecho. Já é dia. E eu perdi mais uma hora preciosa de sono para pensar sobre o que era desnecessário. Posso dormir mais um pouco? Não! Consciência me avisa. 

Desobedeço e fecho os olhos. Me recuso a pensar novamente. Greve de pensamentos. Mas acabo pensando na expectativa. Esperança é algo bom? E se é, por que nos faz mal? Não seria melhor colocar a culpa em nossa falta de força de vontade em controlar o tempo que temos? Seria, mas o melhor nem sempre é o que fazemos. 

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It 

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Trilha Sonora: 10 Coisas Que Eu Odeio em Você

Se tem algo que eu adoro em filmes é a trilha sonora. Todo filme que assisto, reparo nas músicas. E quando alguma me conquista, corro direto para o Youtube mais próximo em busca da sequência inteira.

E, de certa forma, mesmo que passe muito tempo após eu as ter conhecido, a sensação é sempre a mesma. Trilha Sonora de filmes são melhores do que músicas com clipes. Você conhece a história, os personagens, e de algum jeito, tudo vem à tona quando você as ouve.

Por que eu estou falando tudo isso? Porque decidi compartilhar com vocês o meu amor por músicas de filmes, séries e até mesmo livros. Para inaugurar a TAG Trilhas Sonoras do blog, escolhi o filme 10 Coisas Que Eu Odeio Em Você (Sim, o título é gigante. E desta vez, a culpa não é da tradução hehe).

Se alguém aí não assistiu, clica aqui e seja feliz haha. E pra quem já viu, relembre esta trilha sonora incrível (: Ah, e uma curiosidade sobre o filme: é uma releitura de A Megera Domada de Shakespeare. 

I Want You to Want Me

The Weakness in Me

Cruel to Be Kind

Even Angels Fall
Your Winter

I Know

Just Be Good to Me
F.N.T

Come On
E um Bônus: O Eterno Heath Ledger atuando em uma das cenas mais legais do filme =D

I Love You Baby
E aí gostaram? Indicam algum filme/série para o próximo post?

Foto: Google Imagens

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Playlist da Semana: Vida

Oi, gente! Que saudade de postar aqui D: Mal posso esperar as férias para fazer tudo o que eu estou adiando: postar com mais frequência no blog, ler livros de meu interesse, assistir boas séries e viver né. 

Apesar de quase ficar sem fôlego com trabalhos, provas, vestibulares, eu meio que gosto dessa agitação hehe. Não sobra espaço pra tédio, sabe? Só não curto muito a pressão. Como sou uma pessoa bem desorganizada, fico perdida com prazos quando há muito o que se fazer. 

Principalmente quando eu não sou a única envolvida. Já acho difícil distribuir as tarefas para mim mesma, imagine para um grupo. E é devido a essa "pressão", que eu estou me refugiando nas músicas e aproveitando qualquer momento sozinha para meditar. Isso mesmo! 

Justo eu que sempre odiei ficar parada (e sozinha!), estou adorando essa história de olhar um pouco mais para dentro de mim, só pra variar. Eu diria que estou descobrindo coisas novas: sobre a vida, as pessoas e até mesmo sobre mim. A Playlist dessa semana fala um pouco sobre o que a meditação tem me proporcionado. Espero que vocês gostem (:

Ella Henderson - Empire
Prides - Out Of The Blue
David Guetta - Dangerous
Taylor Swift - Out Of The Woods
The Kooks - Bad Habit
Conor Scott - Starry Eyed (Cover)
Jessie J - Stay With Me (Cover)
Alex & Sierra - Little Do You Know
E aí, gostaram?

Foto: We Heart It 

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Sobre pessoas difíceis

É verdade quando dizem que você só pode confiar em si mesma. De vez em quando aparecem alguns problemas, conflitos que te colocam no fundo do poço. E quanto mais a gente gosta da pessoa, mais poder ela terá para nos decepcionar. Maior a dor. Maior o sofrimento. 


Se você não se dá bem com alguém que você conhece desde que nasceu e essa relação não melhorou, entende do que eu estou falando. A verdade (por mais dura que seja) é que algumas pessoas não mudam. E que a melhor relação que podemos ter, muitas vezes, é á distância.


Eu não sei quem controla esse universo doido (algumas fontes dizem que somos nós mesmos), mas no momento, eu não sei em quem acreditar. Tenho vontade de sair de casa, parar no meio da rua e gritar.


Não quero (e não gosto de) guardar sentimentos ruins dentro de mim, mas algumas situações simplesmente me obrigam. Odeio aguentar calada. E ter feito isso por 24h está me matando. Não sei como algumas pessoas conseguem manter isso por uma vida inteira.




Odeio vida de mentiras. Mas tenho descoberto muitas delas no meu mundinho púrpura (não, não é cor de rosa), talvez mais até do que eu posso aguentar. É complicado. É como se você morasse num castelo de cartas, e alguém simplesmente o destruísse.

A ignorância é uma benção. E você só percebe isso, quando não a possui mais. É triste saber a verdade. O conhecimento traz poder, mas o que eu faço com ele? Destruo o castelo de cartas alheio? Acredito que isso só tornaria as coisas mais difíceis.

Tenho vontade de arrumar a mala e ir embora. Não importa para onde. Alguns podem interpretar essa revolta como coisa de adolescente, de quem não tem problema de verdade. Antes elas estivessem certas. Queria ser fútil e me preocupar unicamente com o meu cabelo ou com o que fazer no sábado a noite.

Sempre fui á favor de dar segundas, terceiras, quartas chances, porque eu acreditava nas mudanças. Mas a vida está jogando na minha cara o meu erro. De que adianta dar uma oportunidade se tudo o que eu recebo são portas fechadas? 

Agora eu sei a verdade. Queria poder ter escolhido melhor minhas armas para lutar essa guerra que parece não ter fim. Quem sabe aí eu teria paz. Meio contraditório, eu sei. Mas nesse mundo controverso, o absurdo parece fazer sentido. 

- Desabafo de quem não consegue falar com os amigos. 

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It

sábado, 18 de outubro de 2014

Qual luta é a sua?

Eu sempre adorei esportes. Pratiquei natação por alguns anos e era doida pela Educação Física. Porém, nos últimos anos, me afastei dessa vida atlética/saudável. Para minha infelicidade, acabei me tornando um pouco (muito) sedentária e até a minha médica aconselhou exercícios físicos. 

Como eu não gosto de academia, resolvi praticar algum esporte. E na hora de escolher, optei pela luta. Sempre quis aprender, sabe? Não escolhi pra ficar com um corpo "legal" e nem tenho esperanças de me tornar uma karatê kid HAHA. Apenas quero me divertir, aprendendo algo que vai fazer bem a minha saúde (:

E ainda tem o bônus de que eu sempre quis aprender a me defender fisicamente. Como eu ainda não decidi qual luta irei praticar, andei pesquisando muito sobre assunto e resolvi fazer um post com as lutas mais legais e interessantes que eu encontrei.

1. Krav Maga
Eu nunca havia ouvido falar nessa luta. Mas descobri que ela é a luta mais mortal e agressiva de todas. É sério, gente. É inclusive praticada por policiais e militares. 

É legal pra quem tem como objetivo aprender a se defender. O Krav Maga visa bloquear e atacar (em partes vulneráveis) o adversário ao mesmo tempo. Dizem que se pode aprender a maioria dos golpes em até 6 meses.

2. Muay Thai
O Muay Thai se tornou popular nos últimos anos, e não é difícil encontrar alguma academia que o ensine. Pra quem não sabe, o esporte surgiu na Tailândia. 

A luta é conhecida por ser a que melhor trabalha os punhos e as pernas. Achei bacana também como os benefícios não são apenas físicos, quem o pratica também desenvolve concentração e autoconfiança. 

3. Karatê
Pratiquei Karatê por um ano, mas como foi na infância, não vale né. Confesso que pesquisei por pesquisar, já que tenho uma certa agonia em usar esses quimonos. 

A maioria dos golpes propõe o desvio do ataque. Além disso, a luta também promove o respeito, a disciplina, o autocontrole e o equilíbrio. Ah, e surgiu no Japão, mas acho que vocês já sabiam disso hehe.

4. Capoeira
A única luta brasileira da lista é também uma das mais divertidas. Ela mistura artes marciais com música, além das roupas serem bem confortáveis. A maioria dos movimentos são feitos pelas pernas. 

Não há tanto contato físico quanto as outras lutas, mas engana-se quem acredita que elas não auxiliam na defesa pessoal, já que a capoeira possui alguns golpes mortais. 

5. Boxe
Eu sempre gostei de assistir Boxe. Sério. Quando pequena, sonhava até em usar as luvas haha. O esporte nascido na Inglaterra, utiliza apenas os punhos para praticar os golpes. 

Ele é ideal para aqueles que querem descontar a raiva ou até mesmo o stress no saco de pancadas. A luta desperta a coragem e a autoconfiança de quem a pratica.

E aí qual das lutas vocês mais gostam? De qual vocês sentiram falta na lista?

Fotos: Google Imagens

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Playlist da Semana: Paciência

Um grande sábio já me disse que a Paciência é a grande busca do homem durante sua vida. Você provavelmente entendeu esta frase, assim como eu. Mas nós sabemos que a teoria é muito diferente da prática, não? É por isso que o Universo traz algumas situações para nos desafiar, só pra ver se a gente aguenta o forninho, sabe?

Você tem dois caminhos. Desistir e explodir ou respirar fundo e se superar. Ah, não estou dizendo para ninguém guardar esses sentimentos dentro de si, okay? Mas talvez para transformá-los em algo maior que você mesmo.

Em uma invenção maluca, em arte ou até mesmo em planejar algo que você há muito tempo quer realizar. Você escolhe. No meu caso, as palavras me escolheram. E mais uma vez, eu transformei toda aquela energia negativa que estava tomando conta de mim e a transformei em um texto (até que ficou bom, gente).

Eu diria que eu perdi a paciência, mas a contive bem a tempo que ela explodisse e a transformei em algo criativo. O sábio diria que eu superei suas expectativas. E vocês, andam perdendo muito a paciência? A Playlist dessa semana é para aqueles que a querem bem guardada no bolso de trás da calça jeans.

Alexz Johnson - Running With the Devil
MAGIC! - Let Your Hair Down
Pitty - Temporal
Lenine - Paciência
Daughtry - Waiting for Superman
Meghan Trainor - Lips Are Moving
Ferras feat. Katy Perry - Legends Never Die
Brooke Fraser - Kings & Queens
*A música Out of the woods também estava na lista, mas infelizmente, não foi encontrado nenhum vídeo no Youtube com o Single que foi lançado ontem. Espero que vocês tenham gostado ;)

Foto: We Heart It 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Você é BV?

"Você é BV?"

Me lembro de ter ouvido isso de um menino de 9 anos para outra menina da mesma idade, na 3ª série. Não consegui ouvir a resposta dela, mas ouvi a explicação dele para quem não entendia a sigla. Boca virgem. Ah! Eu, como boa nerd, anotara mentalmente para não esquecer.

Desde essa época, as coisas giravam em torno desse assunto. Relacionamentos. E parece que a partir daí, o assunto foi se tornando cada vez mais mencionado. Depois do tal do BV, ouvi muita gente dialogando durante as aulas sobre as ficadas. Algumas das pessoas questionavam se era apenas um beijo ou se rolava um sentimento. 

É engraçado como antigamente, ou pelo menos pra mim atualmente, para você beijar alguém, é porque você no mínimo, sentia algo por ela. Mas estes tempos modernos levaram toda a doçura de um bom amor.

Depois das ficadas vinham os namoros e depois deles, as traições ou os términos repentinos. Ah, e é claro, os amores que juravam ser eternos e davam ânsia nas redes sociais de tanto love e que depois terminavam antes do para sempre. Quem nunca né?

Finalmente no Ensino Médio, ouvi muito sobre sexo. Na verdade, tenho a impressão de que tudo girava em torno desse tema durante este período. Desde piadas a boatos, ou até mesmo de revelações no verdade e desafio. 

E o incrível é que hoje, na faculdade, ainda ouço conversas que me fazem voltar ao passado pra ver se não estou na 3ª série, quando um menino de 9 anos perguntou para uma menina da mesma idade: "Você é BV?"

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It 

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Filmes que marcaram a minha infância...

Bom, como vocês devem ter percebido, o Dia das Crianças está chegando. E para os adolescentes e adultos, o dia perdeu a magia que costumava ter, afinal, não somos mais crianças (em teoria, ainda sou louca por brigadeiro e cama elástica! haha).

Pensando em uma forma de reviver a minha infância, construí uma máquina do tempo fiz uma lista de filmes que mais me marcaram nesse tempo tão bom e colorido das nossas vidas. 

Provavelmente a sua lista vai ser diferente da minha, principalmente se você não nasceu nos anos 90. Mas vale a pena fazer você listar os filmes que mais te marcaram também. Espero que vocês gostem.

Lua de Cristal
Eu sei que o filme é da Xuxa. Mas atire a primeira pedra quem nunca cantou/dançou ilariê. Então, não me julguem, ok? No filme, Maria (Xuxa) é uma garota simples que sonha em ser cantora e por isso se muda para a capital, onde vai morar com sua tia e primos. 

O que ela não esperava é que eles fossem tão ruins e criassem tantos obstáculos em sua vida. Mesmo o filme sendo bem bobinho, eu curtia na época. E ele traz uma mensagem legal para as crianças, servindo de incentivo para que elas corram atrás dos seus sonhos. 

É claro que na vida real é mais difícil e seu par romântico não é o Sérgio Malandro (RISOS). Mas mesmo assim, é uma história que marcou a minha infância.

O Máskara
Preciso confessar: Eu AMO o Jim Carrey e talvez o amor tenha começado neste filme. Eu adoro a história, do início ao fim. Stanley (Jim C.) trabalha em um banco e é bem desajeitado e tímido, até que encontra uma máscara que lhe dá o poder de se tornar O Máskara, um sujeito verde que faz tudo o que Stanley não tem coragem de fazer. 

O que posso dizer? O filme é hilário, tem uma história legal e até algumas cenas musicais. Além de acompanharmos a atuação incrível de Jim Carrey, mostrando o antes e o depois da máscara. 

Os efeitos também são inovadores para época. Ah, e a Cameron Diaz se destaca, já que este filme foi feito no começo de sua carreira. Enfim, um bom filme para se lembrar da infância.

Velocidade Máxima
Eu sempre adorei filmes de ação/suspense, ainda mais quando estes eram ligados com algum tipo de acidente ou assassino perigoso. Em Velocidade Máxima, um psicopata coloca uma bomba em um ônibus e faz com que ela seja acionada se o veículo parar. 

E é nesse momento que um policial (Keanu Reeves) entra no ônibus e explica a situação, enquanto os outros policiais tentam encontrar uma maneira de desarmar a bomba. 

O filme é super tenso do início ao fim, e é isso que te prende, além de ter ótimos diálogos, sendo alguns até engraçados. E ele ainda conta com a incrível Sandra Bullock!

Matilda
Matilda é um dos filmes mais inspiradores que eu já vi. Nele, a menina de 6 anos é uma garota brilhante que se torna independente, já que seus pais não dão atenção a ela e simplesmente ignoram sua existência. 

Estando sozinha, ela acaba se tornando íntima da biblioteca e aprende com os livros. Em meio a esse aprendizado, ela descobre ter poderes. Tudo muda quando ela finalmente é matriculada na escola. 

Porém esta, é controlada por uma diretora que tortura crianças e é aí que Matilda resolve usar seu poderes para defender seus colegas. Apesar de ser bem legal, o filme tem algumas cenas meio desconfortáveis, no caso das torturas da diretora. 

As Namoradas do Papai
Se eu pudesse, colocaria mais filmes das gêmeas Olsen na lista, mas como ficaria repetitivo, coloquei o que eu mais gostei. Em "As Namoradas do Papai", Amanda é uma garota órfâ, enquanto que Alyssa é filha de um viúvo milionário. 

As duas se conhecem, quando Amanda vai com o orfanato para o acampamento e Alyssa vai passar uns tempos na casa de verão da família. Frustradas com seus próprios problemas, as duas decidem trocar de lugar e se unem para juntar o pai de Alyssa com a responsável pelo orfanato, Diane. 

O filme tem várias cenas memoráveis: a guerra de comida na cafeteria e as mais variadas armações contra a futura madrasta. O filme é incrível, assim como o entrosamento das irmãs.

Esqueceram de Mim
Este filme tem tudo que uma criança adora. Mais um do gênero: As crianças são mais espertas que os adultos. Macaulay Culkin é esquecido em casa pelos pais, após estes ficarem atrapalhados com os preparativos da viagem de férias. 

Ficando sozinho, o garoto precisa aprender a se virar, o que acaba se tornando um desafio, já que dois ladrões tentam assaltar a casa dele. Esse é um dos filmes mais clichês possível. 

E acredito que o carisma do ator, juntamento com a criatividade das armações que ele faz para se livrar dos bandidos fez com que a história se tornasse uma das mais vistas da época. Não tem como não se entreter com a inteligência do menino. 

O Noviço Rebelde
Eu comemorava quando passava algum filme do Didi na sessão da tarde. E este era um dos meus favoritos, porque além do Didi, Sandy & Júnior também participavam. A história juntava tudo que eu mais gostava: as palhaçadas de Renato Aragão, cenas musicais e praia!

Tinha uma certa fixação para que aparecessem piscinas em filmes, séries. Vai entender. Em "O Noviço Rebelde", Didi é um noviço, que tem sua igrejinha destruída em um temporal, e com isso nasce o sonho de arrecadar o dinheiro para reconstruir a paróquia, porém ele é obrigado a fugir da cidade, devido a um coronel que o persegue. 

E é aí que ele vai ao Rio de Janeiro e passa a tomar conta desses pestinhas. É uma clara referência ao filme Noviça Rebelde e tem muitas cenas memoráveis.




Bom, eu poderia continuar a lista, já que existem muitos filmes. Mas o post se tornaria longo e sem sentido. Se sintam livres para comentar á respeito dos seus filmes favoritos. Espero que vocês tenham gostado e se lembrado da infância de vocês. Afinal, só se é criança uma vez na vida. Um ótimo Dia das Crianças :)

Fotos: Google Imagens + We Heart It.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Playlist da Semana: Amor?

Você provavelmente já ouviu a famosa frase: "Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer" do livro/filme As Vantagens de ser Invisível. É claro que a frase fica mais bonita e faz mais sentido em inglês, mas o fato é que ela é verdadeira.

Sempre vejo muitos dos meus amigos perderem tempo com quem não os merece. Com certeza, você tem algum(a) amigo(a) que já passou por esta situação. A questão é que me parte o coração ver como a nossa visão pode ser limitada. 

Conheço muita gente que aceita carinho, amor de qualquer pessoa que apareça, como se a mesma fosse o último trem vago da estação do Amor. Tá faltando autoestima nesse mundo afora. E essa Playlist foi feita exatamente para aqueles que confundem amor com carência ou até mesmo com ilusão. 

Este sentimento deve ser especial para ter inspirado tantas músicas que fazem o coração palpitar, o sorriso surgir e os olhos brilharem. Preste atenção e veja como este trem existe em todos os lugares, é só você parar de procurá-lo. 

Teddy Geiger - Look Where We Are Now
Alexz Johnson - At Your Door
Lifehouse feat. Natasha Bedingfield - Between The Raindrops
Scott Stapp - The Great Divide
Meghan Trainor - Shake it Off (Cover)
Jessie J - Personal
Carly Rose Sonenclar - Do I Wanna Know (Cover)
Kiesza - The Love
Espero que vocês tenham gostado (:

Foto: We Heart It

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

No Fundo do Armário: Que fiquem no zoológico

Um dos muitos aspectos em que o Orkut era superior ao Facebook é que nele a gente fazia piadinhas. Perfis eram construídos com base no humor (ou na cafonice). A face que você expunha e pela qual era socialmente julgado dependia dos seus dotes intelectuais, da sua capacidade de ser engraçadinho ou poético ou profundo no preenchimento do seu perfil.

O meu perfil era baseado em piadinhas metalinguísticas com os campos do próprio Orkut. Na parte em que me perguntavam o que não me atraía num relacionamento, por exemplo, eu copiava e colava tudo que estava na lista de “coisas atraentes” propostas pelo site — tatuagens, cabelo comprido, dançar, flertar, demonstrações públicas de afeto, luz de velas, sarcasmo. 

No campo que perguntava sobre filhos eu respondia “prefiro que fiquem no zoológico”, uma das opções disponíveis para “animais de estimação”. Eu me teria como filha adolescente numa boa.

Os campos de preenchimento do Facebook são travados e jogados para escanteio. Não existe sequer uma forma digna da pessoa informar que é autônoma sem recorrer a bizarrices gramaticais como “work at freelancer”. 

Há anos tento incluir “School of Ressentment” na lista de lugares onde estudei e o site mata minha piada. Como o Facebook é uma rede social com um apuro e investimento técnico muito maior do que o Orkut, sabemos que nada disso é falha, mas ideologia.

O que interessa no Facebook não é sua biografia engraçadinha, os filmes que você gosta, suas citações favoritas. Interessa o seu emprego. Você é seu cargo, a empresa onde trabalha, a universidade onde estudou, a cidade onde mora e seu status de relacionamento. Isso e sua aparência, claro. Não é fácil ser solteiro e desempregado numa rede social assim. 

Não é fácil ter estudado numa faculdade menos conceituada ou sequer ter concluído os estudos. Uma amiga super bem-sucedida, dona de sua própria empresa e que teoricamente teria mais facilidade em lidar com isso, coloca o seguinte no campo “educação”: “Não estudei em nenhuma universidade”. 

Da primeira vez que vi aquilo só pensei “então não preenche”. Hoje penso: “preenche sim!”. Tem uma rede social fazendo bullying com você o tempo inteiro, tentando de vários modos te cercar e te constranger quando você não diz onde trabalha, onde estudou, qual seu cargo, quanto tempo passou na empresa tal. O Facebook é aquela pessoa chatinha que mal te viu e já pergunta o que você faz da vida. 

É aquela pessoa que paga de descolada, mas é super apegada a posições sociais bem delimitadas. Quanto mais delimitadas, melhor. Por isso gosto tanto de gente que ensaia piadinhas como “Sambista at Cara da Sociedade” e coisas bobas do gênero. Ser bobo num lugar que te quer como produto é um pequeno ato de rebeldia.

Esse é um debate que provavelmente já foi superado por *gerações mais novas*, mas para mim, que comecei a me relacionar com a cultura de internet em 1999, é um choque pensar no quanto esse espaço que já foi um “fora”, um lugar de fuga da vidinha, tem se tornado mais vidinha que a firma, que o pessoal da escola, do bairro. 

A internet anônima, com menos recursos, com menos dinheiro, mais colaborativa, mais nerd, mais exigente do ponto de vista técnico, era também mais legal. Usar o mirc era engatinhar na programação, hoje desafiar o usuário parece ser a fórmula do fracasso para uma nova ferramenta.

Quando comecei a escrever, ter um blog era uma forma de falar para muita gente, muita gente que não tivesse nada a ver com a sua vidinha. Era a vida e a vidinha, Miley e Hannah Montana. Hoje a internet é o contrário do lugar de fuga, é a ferramenta que exige que você seja uniforme, homogêneo, que seja o mesmo diante do chefe, do ex-chefe, do colega, do ex-colega, da mãe, do ex-namorado, do paquera, da tia, do vizinho. 

A rede social nega seu direito de ser complexo e multifacetado; isso é visto como falsidade, falta de profissionalismo. Sua vida pessoal deve agregar valor ao seu trabalho. Agora você tem que ser profissional na sua vida pessoal, e ninguém parece ver problema nisso. 

O problema está com o trabalhador que posta fotos bêbado, não com o patrão que acha que o funcionário é sua propriedade até na bebedeira. Você é a pessoa que tem que esquematizar uma narrativa coerente e palatável para toda essa gente (todas as gentes que já conheceu na vida). E ainda tem que se surpreenda por essa narrativa ser chata, muito chata.

O texto foi escrito pela  Juliana Cunha e publicado no blog Nonada. Na Tag "No Fundo do Armário", postamos textos de diversos autores. 

Foto: We Heart It

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Como decidir o seu voto

Bom, o assunto de hoje é Política. Mas espere, não irei fazer nem um texto motivacional (como já fiz aqui) e nem irei falar sobre partidos e discutir sobre quem possui as melhores propostas. 

O objetivo deste post é trazer para os eleitores, ferramentas que os ajudem na hora de decidir seus candidatos. Escolhi vídeos, sites e até mesmo alguns aplicativos que podem ajudar quem está confuso em relação ás Eleições. 

Ps: Não sei se todos aqui votam, mas na minha opinião, não existe idade mínima para entender o que se passa em seu país. Afinal, as decisões irão te afetar, então por que não gastar um pouquinho de tempo para poupar dores de cabeça nos próximos quatro anos?

Preto no Branco - Jornal O Globo
Antes que vocês fiquem de mimimi, porque é da Globo, leiam primeiro á respeito da descrição do site. Nele, são separados diversos trechos do que os candidatos a várias posições dizem em comícios, debates ou á mídia. 

E estes são classificados em Verdadeiro, Verdadeiro, mas..., Falso, Ainda é cedo para dizer, Insustentável, Contraditório e Exagerado. A melhor parte são as justificativas para a classificação. É um bom site para quem ainda está indeciso e deseja saber mais sobre os candidatos. Pra quem gostou, clique aqui.

Lully de Verdade - Não vote pela família
Eu já indiquei o vlog da Lully de Verdade aqui no blog. Sempre gostei dos vídeos dela por falar muito sobre filmes e livros, mas além disso, também sobre a sociedade. E nesse vídeo, com participação da Marcela Lahaud, elas explicam de um modo interessante algumas propostas que foram feitas na atualidade. Vale a pena conferir! Outro vídeo dela que eu recomendo, é sobre o Feminismo.

Simulador - Eleição 2014
Como tenho 17 anos, esta é a primeira eleição da qual irei participar. E como eu não sabia praticamente nada de como funcionavam as urnas eletrônicas, resolvi procurar. Foi aí que achei um simulador, que ajuda quem irá votar pela primeira ou quem não sabe como funciona este sistema eletrônico (Acredite, existem pessoas que já votam há anos e têm dúvidas á respeito.)

O Tribunal Superior Eleitoral que o criou, mas fique tranquilo, não há nome de nenhum candidato, nem mesmo números de partidos. Ele é eficiente pra quem tem dúvidas, e ajuda a simular seu voto antes do grande dia. Pra quem ficou curioso, clique aqui.


Natasha Rattacasso - Pena de Morte
Bom, conheci o vlog da Natasha esses dias. Além de fazer vídeos sobre jogos (como o DOTA), ela também expõe muitas das suas opiniões á respeito da sociedade. Ela traz muitos assuntos políticos para seus vídeos e te faz pensar em uma nova perspectiva sobre o assunto. Pra quem gostou desse vídeo, também assista este, sobre o aborto.
Repolítica
Este é, na minha opinião, o melhor site. Além de possuir um teste que te fala qual político é mais compatível com você (desde deputado estadual a presidente). O Repolítica compara as propostas dos candidatos com o que você quer para o país. 

Além deste incrível teste, você também descobre o que os candidatos pensam á respeito de temas polêmicos e ainda conhece suas propostas. Para fazer o teste, clique aqui. E para saber a opinião dos candidatos á respeito de temas, clique aqui

Ah, outra coisa. Durante a minha aula de Economia, descobri que a Argentina se tornou Socialista em Setembro. Pra quem duvida, o Veja já publicou aqui. Apenas reflitam sobre este fato, que a mídia ainda não tornou público, devido a eleição. 

Espero que vocês façam uma ótima escolha, independente do candidato, que a decisão seja motivada pelo que você acredita. E que os candidatos elegidos provoquem uma transformação no Brasil, para melhor.

Ps: Não quis favorecer nenhum partido ou candidato, muito menos ofender alguém. 

Fotos: Google Imagens

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Playlist da Semana: Limites

Bom, essa semana tem sido bem agitada. Por entrega de trabalhos, resultados de provas, a proximidade do Enem e até mesmo por ser semana de eleições. Percebi que essa movimentação toda não é só comigo, as pessoas ao meu redor também estão sentindo esse desespero de que o mundo vai acabar amanhã.

Enfim, o tema mais presente na minha semana foi sobre limites. Limites? Sim, eu explico. O limite do outro, o seu próprio limite ou até mesmo o que acontece quando você o ultrapassa. É sempre mais fácil perder a cabeça e berrar para o mundo que é você quem está certo. 

O difícil é escutar o outro e saber os seus motivos. E o mais importante: entrar em um consenso. É claro que nunca será possível agradar a todos, mas isso não impede que nós tentemos, não é? Acho que a lição dessa semana é parar de tirar conclusões próprias, e falar sobre o que você realmente sabe. 

Acredito que este seja o primeiro passO para ser uma pessoa legal. E já que estamos na hora de julgar políticos e classificá-los como bons ou ruins, também seria legal olharmos para dentro de nós mesmos também, só pra variar. Uma ótima semana para todos os vocês (:


Ivo Mozart - Mocinho do Cinema
Augustana - Alive
Meghan Trainor - All About That Bass
James Blunt - When I Find Love Again
Jessie J - Burnin' Up
MAGIC! - No Way No
Daughtry - Battleships
Gamu - Shake the Room
Espero que vocês tenham gostado (:

Foto: We Heart It  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...