quarta-feira, 15 de julho de 2015

O Perfeito a Não Ser Feito

Certa vez me disseram que quando a gente aprende algo, é legal passar esse conhecimento adiante. Seja para um amigo ou para um total desconhecido. Ultimamente, tenho aprendido muito. Sobre as pessoas e, consequentemente sobre mim.

Eu sempre tive uma visão iludida sobre a vida. Na minha cabeça, as coisas deveriam ser perfeitas (culpo os filmes por isso). De algum jeito, eu esperava que tudo que me acontecesse fosse bom e maravilhoso. Entraria em uma faculdade perfeita, encontraria uma pessoa perfeita e escolheria uma profissão perfeita.

Esse modo perfeição funcionou muito bem por um tempo, até eu me dar conta de que nada iria sair como eu planejava. Nada mesmo. Eu até poderia escolher qual caminho eu seguiria, mas não poderia controlar pra onde ele me levaria.

É claro que a vida é recheada de escolhas nossas, conscientes ou não, mas o modo e o momento que as coisas acontecem apenas não estão no nosso controle. Destino, Universo, Deuses, você escolhe.

Quando comecei a assistir How I Met Your Mother, odiei o personagem Ted profundamente. Ele me lembrava de tudo aquilo que eu já havia sido um dia, com todo aquele desespero em encontrar alguém. O fato de ele acreditar que existia uma, apenas uma pessoa que o faria feliz e que seria a certa, me deixava desconcertada.

Descobri que não existe uma, mas várias pessoas certas que se encaixam em cada fase da nossa vida. Tudo depende do que estamos procurando. Já quis alguém que me desse segurança, como também já quis alguém que fosse completamente inconstante.

Já procurei relacionamentos que fossem sérios, como também já procurei não me apegar a ninguém. Procurei uma coisa diferente em cada fase da minha vida. E em cada uma delas, encontrei pessoas certas para isso.

Mas esse é o meu ponto, eu tenho apenas 18 anos e já mudei muito de opinião. Então, como posso esperar que exista um alguém que se encaixe em tudo o que eu procuro durante toda a minha vida se eu mal sei o que eu quero no momento?

A fase daquela garota que procurava a perfeição em todas as coisas já terminou há uns bons anos (ainda bem!). O fato de eu ter mudado e continuar mudando só prova que o nosso conceito de “perfeito” e “certo” é incrivelmente mutável.

O seu eu de hoje vai ser inteiramente diferente do seu eu do futuro. Criar um roteiro pra sua vida e esperar que ela saia como o planejado é desperdício de tempo e energia. 

Viver o agora e ver como as coisas realmente são e não como deveriam ser, parece ser o certo a se fazer no momento. Pelo menos pra mim. Não sei se essa é uma mudança de perspectiva permanente ou apenas mais uma fase passageira. Por enquanto, a perfeição está banida do meu dicionário.

PS: HIMYM tem me ensinado que o tempo transforma a gente (e os relacionamentos) constantemente, e que estamos sempre á procura de algo que seja o certo para nós, mesmo que a gente mude de opinião depois. Ah, e sobre o Ted, eu não o odeio mais, okay? Depois do seu amadurecimento, ele é um dos meus personagens favoritos, apesar de ele continuar obcecado em achar alguém hehe. 

Foto: We Heart It
Texto: Carol Chagas

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Fotografando #6

Junho representou o fim de muita coisa pra mim. Fim do semestre, com direito a provas e apresentações de trabalho. Fim de um ciclo, já que passarei a me dedicar 24 horas por dia ao vestibular e deixarei a faculdade de lado. 

Fim de uma fase da Alice, que abandonou velhos hábitos e vai criar alguns novos.  Confesso que eu adoro fins, eles trazem recomeços e transformações. Até postei um vídeo no canal sobre isso :)

Acho que a gente sempre se conhece mais nesses momentos, é meio que um período que o universo nos dá para reavaliarmos tudo o que fizemos e quem somos. 

Também comecei a postar fotos no Instagram do Blog com alguns versinhos que eu comecei fazer (: Tô amando escrever nesse estilo haha. Bom, chega de falatório, vão ver as fotos do mês!

Como eu contei aqui, viajei para o interior no comecinho de Junho. A cidade estava decorada para a Festa Junina e não poderia estar mais linda :) As fotos ficaram incríveis, mas essa é a que mais representa o espírito do pessoal em relação a essa festa típica. 
Esse é o céu do interior também. Tirei a foto quando visitei um sítio de lá. Achei bacana reparar que o céu da cidade é mais escuro que o da minha, que é na praia. 

Deve ser porque eu moro no nível do mar, ficando mais longe do céu (fazendo com que ele fique mais claro - teoria minha viu?), enquanto o interior está um pouquinho mais alto. Enfim, é lindo.
Quando voltei de viagem, estava com vontade de fotografar, porém sem ter algo específico, acabei optando por tirar foto de coisas dentro de casa mesmo. Apesar de simples, as fotos ficaram bonitinhas e me apontaram detalhes que eu nunca havia percebido sobre onde eu moro :) Perspectiva é tudo né, gente? 
Eu sempre trago fotos do pôr-do-sol para o Fotografando. Mas como esse mês foi meio dark, achei que ele merecia um céu diferente, cheio de nuvens pra variar. Sem contar que, essa foi a paisagem que mais vi durante Junho, já que o Inverno começou (: 
Depois do fim da faculdade (sim, eu não paro mais de falar nisso), resolvi reformular todo o meu calendário para estudar. Revisar conteúdos, organizar minhas matérias e meus horários. 

Nessa nova agenda, estou incorporando novos hábitos (mais saudáveis) e fiz questão de deixar mais tempo livre para família e amigos. E para que isso ocorra, preciso ser mais produtiva do que nunca. Então, aceito dicas viu!  
Em um dia X de Junho, acordei virada do avesso e decidi arrumar o meu quarto e praticar o desapego. Ao todo, foram 4 sacos de lixo em que joguei o que não era mais necessário na minha vida. 

No meio da faxina, percebi que tinha mais porquinhos (vocês entenderam pela foto né? haha), livros, pastas, papéis do que eu precisava. O que só me motivou a continuar me livrando de tudo (nenhum porquinho foi prejudicado no dia, okay?).

A limpeza durou umas 20 playlists, mas valeu super a pena. Meu quarto está bem mais vazio, porém continua cheio hehe. O bacana foi o sentimento de leveza que está em mim até agora.
Me senti um pouco solitária durante os últimos dias, como não me sentia há tempos. A minha lista de tarefas estava gigante, mas por algum motivo, eu não tinha forças para segui-la. Senti um desânimo que não desejo pra ninguém. Espero que eu passe bem longe disso em Julho. 
No último dia de Junho, visitei a Fábrica da Coca-Cola em Jundiaí-SP, com a minha faculdade (último passeio #nostalgiadefine). Antes de ir, a minha ideia era fazer um post contando tudo sobre lá, porém não vimos tanta coisa assim. 

Sem contar que, essa é a única foto que tirei do lugar (máquinas fotográficas eram proibidas). O dia valeu mais a pena por causa da companhia da galera da minha sala, deu pra se despedir de um ótimo jeito :)

Então, é isso. Um ótimo mês de Julho pra todos vocês  ♥

Fotos: Carol Chagas (com exceção da que inicia o post)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...