segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Como Aprender e Praticar Inglês?

Não sei se vocês sabem, mas eu sei falar inglês. Não gosto de usar o termo fluente no meu caso, por motivos de: nunca viajei para fora do país ou conversei com alguém pessoalmente por horas a fio na língua. O dia em que qualquer uma das duas coisas acontecer, eu aviso vocês.

Bom, o fato é que eu terminei o curso há exatamente um ano e quando estava prestes a concluí-lo sempre pensava: mas como é que eu vou me lembrar do que eu aprendi? Porque não sei se vocês já perceberam, mas tudo que a gente não pratica, a gente esquece (infelizmente).

E foi pensando nisso, que eu decidi criar uma rotina de "estudos" pra colocar o meu inglês sempre em dia. Depois de segui-la por alguns meses, vi que dava certo (pelo menos pra mim haha) e decidi compartilhar com vocês. 

Lembrando que esse post serve tanto para quem já aprendeu inglês, como também para quem quer aprender! Espero que as minhas dicas ajudem quem estiver precisando :) 

Listening
A primeira coisa que eu faço antes de começar a estudar é ouvir (tentar cantar também haha) uma boa música em inglês (e conferir a letra dela, selecionando as palavras que eu não conheço) ou até mesmo assistir a um episódio de uma série qualquer. Funciona como uma espécie de aquecimento para o estudo.

Iniciantes: Assistam a uma série que se aproxime do vocabulário informal. As sitcoms (comédia) são ótimas para isso. Além da linguagem fácil, elas também são rápidas, duram em média 20 minutos.

Intermediário: Quando estiver nessa etapa, é legal assistir séries com legendas em inglês. Você vai acabar conhecendo palavras novas e se acostumando com pronúncias de palavras que você tem dúvida. 

Avançado: Se você já tem inglês avançado, tente se libertar das legendas. Preste mais atenção na expressão dos atores para entender o que eles estão falando. Vale voltar cenas até decifrar as falas dos personagens.

Vocabulary
O Vocabulário é algo que se aprende aos poucos e a parte mais difícil do processo é memorizá-lo. Para não se esquecer de uma palavra assim que conhecê-la, é preciso que você a utilize diversas vezes. 

Mas como? Aplicativos como Duolingo e Lingua.ly são uma grande ajuda nesse sentido e o melhor é que podem ser usados em qualquer nível (iniciante, intermediário ou avançado). 

Outra boa forma de praticar palavras novas é escrever. Ajuda o estudante a pensar em inglês, conhecer melhor a gramática, formular frases e expressar sua opinião em outra língua.   

Interpretation
A parte de interpretação é algo muito importante para um falante da língua, pois do que adianta saber o vocabulário se você não consegue interpretá-lo? É preciso ler em inglês, para você entender a imensidão de significados que as palavras podem ter, dependendo do contexto. 

O Lingua.ly ajuda muito ao traduzir palavras desconhecidas e salvá-las, para que você possa treiná-las depois! E o Medium também é incrível para achar textos em inglês sobre os mais diversos assuntos que você quiser ler. 

Iniciantes: Podem ler livros pequenos, com histórias simples. Podendo ser infantis ou em quadrinhos. Ah, e com muitas figuras. E qualquer palavra que você não conhecer, o ideal é que tente entendê-la pelo contexto. Agora, quando não conseguir, procure seu significado. 

Intermediário: Livros maiores (que de preferência você já tenha lido) ou textos sobre um assunto que você gosta são muito bem-vindos. Nessa etapa, você vai conhecer muitas palavras específicas que descrevem lugares, cenas e pessoas.

Avançado: O ideal é ler a versão inglesa de livros que você ainda não tenha lido. Além de se arriscar mais com textos sobre assuntos que você não é tão próximo assim. 

É legal procurar alguns que também tem a ver com a sua área (se você já faz faculdade ou trabalha), dessa maneira você também aprende termos técnicos em outra língua!

Conversation
Apesar de muitas das coisas da lista poderem ser feitas sozinho, é preciso que você converse com alguém. Afinal, estamos falando de uma língua, né gente? Se você não conhece ninguém pessoalmente que saiba falar ou esteja aprendendo inglês, recomendo que você procure online. 

Existem diversos sites, mas o que eu mais utilizo é o Omegle. Dá pra falar por mensagem ou por microfone também, você que escolhe. Ah, e se acontecer de você conversar com uma pessoa diferente da sua nacionalidade, além de aprender gírias ou formas diferentes de se falar algo, você também vai conhecer uma cultura diferente da sua =) 

Mas fiquem espertos nesses sites, porque assim como tem gente legal querendo conversar, também tem muita gente querendo fazer merda. 

Speaking
Se a sua vergonha de falar inglês for muito grande (já passei por isso) e você quiser treinar sozinho mesmo, sempre há uma opção :) Fale sozinho em inglês. Fale sobre o seu dia, seus sonhos, sua opinião sobre aquele filme que você viu. 

O legal é tentar formar as frases em outra língua e não traduzi-las. Me disseram uma vez que a gente precisa aprender a Pensar em Inglês e não ficar traduzindo tudo. 

Essa técnica vai te ajudar a explorar mais esse lado, além de utilizar na prática o que você aprende com vocabulário. Recomendado para todos os níveis. 



Aprender uma língua nunca é fácil. Mas ajuda se você estiver disposto a se esforçar e dar o seu melhor para conhecer mais, seja de vocabulário, gramática ou interpretação. 

Com o tempo, você descobre que aprender uma língua diferente da sua é como passar daquele nível do vídeo-game que você adora. É abrir as portas para um mundo secreto que só estava esperando que você o descobrisse. Espero que vocês tenham gostado das dicas ((:

Fotos: We Heart It

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Ares do Inverno

Tá tudo vazio. O quarto, a sala, até  mesmo o plano de fundo do computador. Os pedaços do espelho quebrado já foram para o lixo, as roupas velhas já foram doadas. Cada um já está no seu lugar. Seja na sua gaveta predileta da cômoda ou numa cidade pequena esquecida em um estado diferente do seu.

Pode parecer estranho, mas depois de um tempo, você percebe que nada pertence a ninguém. Objetos, sentimentos e pessoas. A gente costuma analisá-los como se fossem todos sólidos e palpáveis, mas o que não sabemos é que todos são feitos de Ar. E ninguém é capaz de segurá-lo, contê-lo ou guardá-lo.

Ele tem vida e vontade própria, apesar do que você acha que sabe. Não adianta mergulhar de cabeça na ideia de que as coisas são estáveis e obedecem a uma ordem. Isso não existe. A psicologia pode até tentar, mas não existe uma lógica verdadeira que explique o que há dentro de cada um.

Podemos andar pelas ruas, observar o mar e achar que podemos controlar o universo ou ainda fingirmos que somos os donos do mundo. Mas a verdade é que não possuímos poder nem mesmo sobre nós mesmos.

Nos vemos maduros, imaturos, loucos, tranquilos em um curto intervalo de tempo. Vivemos em meio a tantas características opostas que nos combinamos como um elemento químico pronto para ser descoberto, transformado e destruído.

Acho que no fim, a gente se acostuma. Com o coração cheio, vazio, bagunçado. Aprendemos aos poucos, uma lição de cada vez, a cuidarmos. Não do que é nosso (pois nada é), mas do que está ao nosso redor. 

Esse é o melhor aprendizado que podemos levar e o melhor é que ninguém pode tirá-lo de nós. Talvez o conhecimento não seja como o ar, que escapa pelos dedos, mas sim como a água, que fica retida nas superfícies do nosso corpo. 

Foto: We Heart It
Texto: Carol Chagas

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

São Paulo: Avenida Paulista

Estação da Luz :)
Como eu tinha dito, viajei no finalzinho de Julho para Jundiaí, só que em um dos dias que fiquei por lá, fui pra São Paulo com minhas primas =) Escolhemos ficar na Paulista mesmo e visitar o que havia ali na Avenida. 
Um painel interativo em que apareciam ondas conforme você se movimentava na frente dele. (E minha prima na frente hehe).
O primeiro lugar que visitamos foi o Sesi-SP, onde estava acontecendo a 16ª Edição do FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica) de São Paulo. Eu achava que lá não ia ter muita coisa, mas CARA, como me enganei. Passamos 2 horas dentro do lugar e o tempo simplesmente voou. 
Foto: FILE.org
Primeiro, encontramos esse "paredão" que se chamava 'Big Beat'. Os botões quando apertados emitiam um som de algum instrumento e se você fosse bom o suficiente apertasse vários deles ao mesmo tempo conseguia formar um ritmo. Quer dizer, tentar né haha, é muito difícil. Mas a experiência foi muito legal. 
Na parte central do espaço havia 18.000 dessas luzinhas LED. Elas apagavam, mudavam suas cores e a frequência com que ficavam acesas. Nem preciso dizer que fiquei um tempinho completamente hipnotizada por elas.
Foto: FILE.org
Uma outra atração era um espaço com três tripés com uma câmera apoiada em cada um deles. Onde a pessoa ia para a frente de uma delas e, quando ela piscasse sairia um som. Havia a bateria, o samba e o jazz. 

Ah, se três pessoas piscassem ao mesmo tempo, poderiam TENTAR formar uma musiquinha ou algo que só fizesse sentido haha :P O samba foi o meu favorito.
Foto: FILE.org
A "PAREDE" foi criada pelo Brasil. Essas placas de alumínio espelhado viravam conforme alguém passava na frente delas. Do lado dessa obra, havia uma flor gigante, que estava pendurada no teto. 

Ela ficava fechada até que alguém ficasse embaixo dela por um tempinho. A "florzinha", quando abria, girava super rápido! Até tentei gravar esse momento, mas não deu muito certo haha.
Linda flor gigante ♥
Além dessas obras, também havia diversos jogos e vídeos para assistir (alguns com óculos 3D). Sério, a exposição era tão incrível que tinha até mesmo um espaço com alguns games, pra você ir lá jogar ;) A bonita aqui quase levou sem querer o fone de ouvido. Ops.
Hábitat do Melhor Churros que eu já provei.
Bom, pra quem estava afim de ir, infelizmente, o Festival já terminou :( Espero que quem não visitou, consiga ir na próxima edição. Depois do FILE, fomos almoçar em um Shopping e morremos de amores ao provar os churros de uma Food Truck que ficava ali do lado *o* 
Conjunto Nacional
A nossa última parada foi no Conjunto Nacional, ali fomos assistir alguns shows de stand-up gratuitos promovidos pelo Risadaria, que é uma espécie de Festival do humor que rolou durante Julho em São Paulo. 

Assistimos ao primeiro humorista, Gabe Cielici, de Santos-SP (bem perto da minha cidade haha), ele cantava músicas hilárias para as ex-namoradas dele :P
Stand-up do Michel Mattos - Euzinha dentro do círculo haha
O segundo humorista que vimos foi o Michel Mattos. Ele parecia mais á vontade no palco e o público mais receptivo também. Deu pra dar boas risadas =) No prédio, também havia alguns estandes do Risadaria com charges, tirinhas e vídeos humorísticos (tinha um do Galo Frito). 
Tirinha com indireta que te dá um tapa na cara :P
E a melhor surpresa foi ao sair do Conjunto Nacional: encontramos uma banda cover ma-ra-vi-lho-sa! Eles só cantavam músicas antigas, sabe? E a voz do vocalista era incrível. Eles cantaram Stand By Me e eu pirei hahaha. 
Banda incrível que eu não sei o nome.
Cheguei a tirar foto deles e gravei um videozinho super curto. O legal é que a gente ficou na calçada, juntamente com uma galera, só assistindo. Me arrependi de não ter ido lá perguntar o nome da banda, ou se eles realmente eram uma banda, desconfio que alguns integrantes eram gringos.

Bom, foi isso. Espero que vocês tenham gostado ((:

Até um próximo post!

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Indicação de Vlogs #3

Os Vlogs estão se espalhando que nem febre ou é só impressão minha? Durante 2015, perdi as contas da quantidade de vlogueiros que surgiram e pelo que eu estou percebendo, ela não para de aumentar. 

Durante Abril, como já é de costume, temos o VEDA (Vlog Every Day During April), só que alguns canais também resolveram fazer isso durante Agosto! Simm :P 

Acompanhando essa vibe, decidi indicar alguns vlogs que conheci nos últimos meses. São de assuntos variados e têm me feito companhia nos intervalos de estudo =) Dá uma olhada abaixo!

Papo Astral
A Carol Vaz é uma geminiana pra lá de bacana. Já aviso, o vlog é sobre Astrologia. Ela explica pra galera (de uma forma super traduzível) sobre a influência dos planetas no nosso signo. 

Além de mostrar com muito bom humor as diferenças de cada ser humano nos grupos do zodíaco. Ah, e ela também tem feito o mapa astral de gente famosinha do Youtube :P Pra se inscrever, é só clicar aqui.

Verdade Verdadeira
Eu conheci a Debbie por meio do blog de viagem dela e do namorado Fê: Pequenos Monstros, já até indiquei aqui nesse post. Os dois criaram um vlog para o blog deles, mas há uns dois meses atrás ela também resolveu fazer um só dela. 

O Verdade Verdadeira fala sobre as diferentes formas das pessoas de agir e ser no mundo, além de fatos cotidianos que acontecem com todo mundo. Enfim, tenho gostado dos vídeos :) Se quiser conferir o restante, é só clicar aqui

Fernanda Zau
A atriz e visivelmente carioca Fernanda é hilária. Seus vídeos falam sobre tudo que rende um bom assunto: redes sociais, polêmicas e pessoas. Conheci ela por acaso, perdida no sugeridos do youtube. 

Adorei a maneira com que ela expressa sua opinião, parece que ela sempre fala o que pensa. Por ela ser atriz, sempre me deixa na dúvida se a Fernanda é assim mesmo ou se é apenas um personagem hehe. Pra conhecer mais, é só clicar aqui

Papo de Vestibular
Okay, esse é mais sério. O Professor Bruno Moreti dá muuitas dicas sobre o vestibular, ENEM e afins. Ele fala sobre situações que um vestibulando ou até mesmo um universitário passa. 

O mais incrível de seus vídeos é que ele sempre te inspira, a estudar mais, a correr atrás dos seus sonhos. Ah, e também rola muitas entrevistas com estudantes de cursos variados :) Pra assistir os outros vídeos, clica aqui.

Depois das Onze
Já aviso, é bem de menininha, mas eu gosto haha. A Thalita e a Gabriela também são atrizes de Santa Catarina (acho que Florianópolis). Os vídeos delas são engraçados e falam daquelas bobeirinhas da vida. 

É ótimo pra se distrair e dar umas boas risadas. Ah, e o vlog é filmado e produzido por uma produtora, fugindo daquele lance caseiro da maioria dos canais. Veja mais aqui

E aí vocês conheciam alguns dos canais? Gostaram? Me mandem sugestões de vlogs nos comentários! Ah, e se você gostou desse post, fiz outros dois parecidos: Indicando Vlogs e Indicando Vlogs #2 (nomes super originais, eu sei.).

Ah, e se inscrevam no meu canal lá no youtube! ♥ 

Até o próximo post!

Fotos: Google Imagens

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

VLOG: TAG 7 Coisas

Semana passada, a Letícia e a Bárbara do blog Letter of Winter me indicaram pra participar da TAG 7 Coisas. Nela, você responde 7 perguntas com 7 listas e depois indica 7 blogs para fazer o mesmo :) Sim, é meio confuso haha.

Muita gente respondeu as perguntas por texto, mas eu decidi fazer em formato de vídeo porque faz um tempinho que não posto nada no youtube. Confesso que adorei as listas e acabei descobrindo umas coisinhas sobre mim mesma. Pra ver o resultado, é só dar o play abaixo ;)


E aí gostaram? Se identificaram com alguma das minhas respostas? Me digam o que acharam! Ah, e não se esqueçam de se inscrever no canal \o/

Até o próximo post =)

Foto: Carol Chagas

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Trilha Sonora: Cidades de Papel

Fui ao cinema com baixas expectativas ao ver Cidades de Papel, já que eu não havia lido o livro e todo mundo que eu conhecia falava mal da história. Apesar disso tudo, decidi pagar pra ver e assistir. E, NOSSA. Não me arrependi nem por um segundo. 

O filme é bem mais leve que A Culpa é das Estrelas (não tem como não comparar as duas obras, né John?), mas não deixa de tocar em assuntos profundos do ser humano. Engana-se quem o assiste esperando por um romance. O filme é completamente o oposto disso. 

Se pudesse escolher uma palavra que o resumiria, escolheria jornada. Já que durante toda a história, os personagens procuram por alguém, mas acabam encontrando algo bem maior: eles mesmos. Achei incrível a evolução dos personagens como pessoas e o fato do filme ser uma comédia que chega a algum lugar, sabe? Toca na ferida, dá aquele tapa na cara.

Os diálogos são muito bem escritos e o humor presente neles faz com que o longa mantenha um bom ritmo. Cidades de Papel fala sobre as reviravoltas que a vida dá ou que nós mesmos damos, quando abandonamos uma versão antiga nossa para estarmos prontos para outra nova. 
O surpreendente do filme também foi o fato de todos os personagens terem sido explorados psicologicamente, cada um com sua questão a resolver. PS: Nem vou falar da fotografia do filme, porque perfeição define. 

Além de todas essas coisas incríveis á respeito de Paper Towns, a Trilha Sonora me conquistou profundamente ♥ A maioria das músicas têm uma pegada meio eletrônica e indie e eu posso dizer que elas se encaixam em cada detalhe do filme. 

Parece que foram escolhidas a dedo, causando uma sensação incrível no cinema e agora nos meus fones de ouvido também haha. Antes mesmo de assisti-lo no cinema, eu já me apaixonei pelo álbum ao ouvi-lo. Gostei tanto que resolvi compartilhar as minhas favoritas com vocês <3


Radio - Santigold

Search Party - Sam Bruno

Lost It To Trying (Paper Town Mix) - Son Lux

No Drama Queen - Grouplove

Falling - Haim

Runaway (U & I) - Galantis

To The Top - Twin Shadow
Bom, é isso. Se você gostou das músicas acima, clica aqui pra conferir o restante do álbum ((: 

Mas e aí? Vocês viram o filme? Gostaram?

Gifs: Tumblr

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

O Protagonista Que Existe em Você

Geralmente começa assim. Algo me incomoda, me cutuca. Mas eu ignoro. A coisa cresce e quando decido lidar com o problema, ele parece ir além das minhas mãos. Ela fica tão grande que se torna a minha maior prioridade na vida, pela proporção que tomou. 

Depois de um tempo, consigo ajeitar aquela ponta solta e finalmente consertar aquele lado estranho que era desigual do pé da mesa. Mas aí outra coisa surge. Outro nó. Outro fogo que cresceu e já queimou a casa toda. 

Outro detalhe ignorado que fez com que simples buracos na calçada se espalhassem e que, agora, necessitam de reparo na rua toda e não em apenas uma esquina. 

Talvez eu ainda esteja acostumada a ser criança. Onde a minha vida era resolvida por outras pessoas e estas desfaziam os nós que apareciam no meu caminho. É chato você não poder desligar o modo alerta da vida. 

Parece que a preocupação vira nosso segundo nome conforme a gente cresce. E a maneira com que você lida com o probleminha que se instala na parede do seu quarto passa a te definir. 

E ninguém mais se importa. Com os seus problemas, com suas dificuldades. São suas obrigações, não deles. E é nesse momento que dá um estalo. Click. Ninguém realmente se importa. O protagonista da vida das pessoas são elas mesmas. Você é figurante na vida alheia, então por que não ser o personagem principal de sua história? 

Por que não pensar mais um pouquinho em si mesmo, ao invés de colocar o outro como prioridade? Não é individualismo, é bom senso. Depois de um tempo, você percebe que não existe motivo para deixar de fazer algo que você gosta pelos outros. A vida é sua, se joga! 

Existem infinitas possibilidades apenas esperando que você as encontre, as experimente. Podem falar pelos cotovelos sobre você, mas não há nada que se possa fazer sobre isso. Eu sempre vivi com as expectativas que os outros tinham sobre mim. Sempre. 

Adorava agradar todos ao meu redor. Mas agora caiu a ficha sabe? Não é possível deixar todo mundo contentinho, se você não se sente assim. Isso não é felicidade. É atraso de vida. 

No fim, você entende que são poucas as pessoas que realmente importam, mas nem mesmo elas podem decidir o seu futuro e fazer as suas escolhas. Então, tá tudo bem pra mim, se alguém discorda da minha opinião e não vai com a minha cara. 

Pelo que eu me lembro, não são elas que consertam os meus móveis ou a minha vida. Se rolar algum problema (e vai rolar, sempre vai), não são elas que vão resolvê-los pra mim. 

O que acontece é que todo mundo ganhou de brinde do universo uma vida. Pra você sofrer, se alegrar, crescer, se perder e se encontrar. Por mais que você evite ver a verdade, o protagonista, diretor, roteirista disso tudo é você. 

Se está uma droga, vai escrever uma cena em que o seu personagem enxerga um lado diferente da história. Ou simplesmente mude o roteiro todo. Não se canse de mudar. Se acostume com o modo alerta. Arrume as pontas soltas, conserte o pé da mesa e desate os nós que aparecerem. 

O equilíbrio pode parecer impossível de ser alcançado, mas a gente pode continuar tentando. Sempre. Todo um dia um pouco mais. Um buraco na calçada de cada vez. 

Foto: We Heart It
Texto: Carol Chagas

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Fotografando #7

Em Julho, fiz de tudo pra colocar minha vida nos eixos, mesmo que eu precisasse fugir um pouco de mim mesma. Conheci lugares e perspectivas de mundo que me fizeram ver outro ângulo da vida. 

Acredito que tudo que nos acontece promove uma mudança. E essa foi a palavra que mais definiu Julho. Experimentei por várias vezes aquela sensação de reviravolta em um filme, quando a gente descobre que uma coisa é outra completamente diferente, só que nesse caso era vida real e bem menos dramático. 

Também voltei com tudo aos meus estudos. Me distanciei do blog, mas era preciso, até fiz um post de desculpas aqui haha. Gravei um vlog sobre Arquitetura com a minha prima, que só falta ser editado e será postado nesse mês :) 

Voltei a fazer muita coisa, que eu tinha deixado de lado, sabe? A sensação que dá é que eu me encontrei, depois de muito tempo. Agora, é só lidar com isso tudo em Agosto. Veja Julho em Fotos!

A maioria dos dias foram frios. E eu não sou uma pessoa acostumada a lidar com isso. Resultado? Muitas noites debaixo de cobertas, assistindo séries, filmes e comendo brigadeiro, lógico. Inverno acaba comigo haha.

Os dias nublados me fizeram valorizar cada pedacinho do sol que aparecia. E em um desses dias que ele resolveu dar as caras, deu de brinde um pôr-do-sol pra lá de lindo ♥

Viajei para Jundiaí pra visitar minha família (: Acabei ficando uma semana por lá, mas a sensação era de que tinham se passado uns dois dias. Essa foto é do dia em que eu cheguei e estava desfazendo as malas. Não se iluda com o dia bonito, estava frio pra caramba hehe. 

Em um dos dias que fiquei na cidade, fui conhecer o Sesc de Jundiaí. Parece que o prédio havia sido entregue a pouco tempo. E cara, que lugar bonito. Ali tinha uma biblioteca invejável, um teatro, uma quadra de esportes, um museu com exposição e uma área com 64646 jogos de tabuleiro. Sério, amei!

Ao subirmos no último andar do prédio, encontramos 1) uma vista incrível, 2) diversas bandeiras do Brasil. Pois é, a gente também ficou com cara de bolinha haha. Estava ventando demais no dia, o que ajudou/dificultou nas fotos da bandeira. Essa foi a que deu mais certo.

Enquanto estava passando uns dias em Jundiaí, fui pra SP (viagem dentro da viagem = Inception). Passamos o dia na Paulista e eu vou fazer um post detalhando tudo que a gente encontrou por lá ;)

Essa foto foi tirada no FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica). Essas luzes piscavam, mas mudavam de cor e a frequência com que piscavam. Fiquei alguns minutos, simplesmente hipnotizada.

No final do dia, fomos conferir o Risadaria, que era um Festival de Humor que estava acontecendo em SP. Shows de stand-up e exposições com tirinhas aconteceram em diversos lugares da cidade durante Julho. Conseguimos visitar antes que acabasse (:

Bom, então é isso. Gostaram das fotos? Me sigam nas redes sociais para serem avisados dos próximos posts :) 

Twitter: @fasesdealice
Instagram: @fasesdealice
Fanpage: Fases de Alice
Youtube: Carol Chagas

Fotos: Carol Chagas (com exceção da que inicia o post).

domingo, 2 de agosto de 2015

Esclarecimentos + AWESOME de Julho

Vamos parar com a palhaçada, tomar vergonha na cara e acabar com a enrolação. Está na hora de fazer um post de verdade. Chega de adiar, porque não está bom o suficiente ou porque eu não estou afim de sentar e escrever. 

Precisamos esclarecer umas coisinhas. Eu amo o blog, mas confesso que procurei evitá-lo nos últimos meses. Desde Maio, a quantidade de posts têm ficado meio inconstante, eu diria que até ausente durante algumas semanas. Mas sei lá, precisava desse tempo. 

Estou novinha em folha e pronta pra voltar a postar como antes. Cheia de ideias nessa minha cabeça desmiolada e pronta para colocá-las em prática. E a primeira delas é o AWESOME DO MÊS (Usei caixa alta e negrito pra vocês verem o quanto é importante). Calma, eu explico. 

Eu sempre encontro links legais na internet, mas não consigo encaixá-los em posts aqui no blog. Por isso decidi agrupar essas minhas descobertas em uma única categoria. O Awesome (que significa Incrível) é porque estou viciada em How I Met Your Mother e essa palavrinha é o grande bordão do meu personagem favorito. 

Agora vejam o que eu encontrei de mais AWESOME em Julho =) It's gonna be LEGEN... Wait for it... DARY! (Entendedores entenderão haha).

Música
Eu sempre fui a brasileira que detestava música nacional, mas de uns tempos pra cá, isso tem mudado. De alguma forma, diversas músicas brasileiras chegaram até mim e me conquistaram na mesma hora. 

Tive que me render ao meu preconceito e me entregar a melodias maravilhosas! A maioria é antiga, mas eu não conhecia muitas dessas músicas. Coloquei abaixo as melhores :))

Malu
A Maria Luíza está na temporada atual de Malhação, mas o que algumas pessoas não sabem é que ela também é cantora. Descobri por acaso que ela tem um canal no youtube onde posta lindos covers, cheios de mashups

A Malu tem uma voz incrível e super diferente do que a gente ouve na música nacional. Logo que ouvi, tive que me inscrever. Ouça mais aqui

Tiago Iorc (Troco Likes)
Nunca parei pra ouvir um álbum do Tiago Iorc inteiro, até ele lançar seu último: "Troco Likes". Como lidar com o fato de que as músicas são apaixonantes? Algumas são calminhas, outras mais agitadas, mas todas te envolvem. 

As letras são bem construídas e me fazem refletir sobre quem somos e o mundo em que vivemos. Dá para ouvir o álbum na íntegra no Spotify e no Rdio (não sei se está em outra plataforma). O que importa é que Tiago consegue, de algum jeito, levar um sentimento bom pra dentro da gente com suas verdades cantadas =)

Criolo
Eu já havia ouvido falar do Criolo em festivais de música ou até mesmo nas recomendações do Vagalume, mas nunca parei pra ouvir, por motivos que desconheço. 

Até ver esse vídeo da Malu (de quem eu falei aí em cima), onde ela fez um cover de "Não Existe Amor em SP" e eu me apaixonar na mesma hora. Apesar de ele já ter lançado há muito tempo, eu nunca tinha ouvido, acho que é porque não escuto nenhuma Rádio. 

Bom, fiquei curiosa pra ouvir a versão original, mesmo estando com um pé atrás. Quase quebrei a perna, porque a versão do Criolo superou o cover. E agora, sua música não sai da minha cabeça hehe. Falando nele, se alguém quiser me indicar outra música do cantor, estou pronta pra ouvir todos os álbuns já!

Sites/Aplicativos 

Medium
O Medium é uma nova plataforma de texto, mais clean e que se preocupa mais com o texto em si, do que com o design. Ele ainda não exige uma certa obrigação de se postar sempre. Mesmo quem não tem um blog (ou pra quem tem também), pode simplesmente escrever algo e deixar lá. 

O que mais me surpreendeu no Medium foi a qualidade dos textos, a maior parte dos que eu encontrei são incríveis e te fazem refletir á respeito de uma perspectiva diferente de um assunto. 

Tanta gente tem gostado dele, que alguns blogs se transferiram para a plataforma, como o Youpix, que não só mudou o visual, como também o conteúdo de seus posts. Se você ficou afim de ler o texto da imagem acima, é só clicar aqui

Lingua.ly
Conheci o Lingua.ly em um dos vídeos da Julia Jolie. Baixei o app no Google Chrome e não me arrependi, ele é simplesmente perfeito. O Lingua.ly serve para muitas línguas, mas estou usando-o para reforçar o meu inglês. 

O site/app funciona mais ou menos assim: Encontro uma palavra diferente, clico nela e ele me diz seu significado e sua pronúncia e depois a salva em um lugarzinho chamado Practice. E fica lá, até que eu vá treinar e o Lingua.ly me pergunte do significado de todas elas. Achei isso perfeito para aprender vocabulário <3

Marc and Angel
Tradução do Título do Post: 18 Coisas Que Eu Gostaria Que Alguém Tivesse Me Dito Quando Eu Tinha 18 Anos
Eu sou muito viciada em posts que são listas (do tipo 5 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER AGORA PRA CONTINUAR VIVENDO) e enquanto vagava pelo Buzzfed, acabei esbarrando num blog que é desse jeitinho. Para minha surpresa, seus autores eram um casal (Marc e Angel) profissional em coaching

Enfim, me apaixonei pelo blog, simplesmente por eles falarem sobre o comportamento das pessoas e coisas que a gente aprende durante a vida. Sem contar, que foi um grande achado para mim que estava procurando algo para ler em inglês =) Quem ficou afim de ler, clica aqui.

TV/Livros

How I Met Your Mother
Eu sou uma grande fã de Friends. Então, confesso que toda vez que alguém falava de himym, eu ficava com um pé atrás, já que a maioria das pessoas me dizia que a série era meio cópia da dos 6 amigos no Central Park. Acabei assistindo, de tanto insistirem. Paguei minha língua, rins e até o meu pescoço.

Adorei a série e me viciei tanto que já estou na 8ª Temporada, sendo que comecei há dois meses. Sim, tem algo de errado nisso. Existem algumas semelhanças entre ela e Friends, mas a história passa longe. 

Adoro os personagens, os diálogos hilários e é claro, as lições sobre relacionamentos. Já que sempre tem uma espécie de moral na história, enfim, adoro isso. E estou ansiosa pra saber quem é a mother ♥ 

Sete Vidas
No post que eu fiz sobre Guilty Pleasures, falei do meu amorzinho por novelas. O que acontece é que, a última que realmente fez o meu coração bater mais forte foi Sete Vidas. 

Adorei a história, os personagens e o fato da autora se preocupar mais em retratar os dilemas das pessoas como seres humanos do que fazer tramas malucas sobre dinheiro, poder e assassinatos misteriosos. 

Foi uma novela linear, com começo, meio e sem fim. Já que ela terminou da mesma maneira sutil que começou, mostrando que a vida nunca acaba pra valer, sempre existe um depois. 

O que eu mais adorava de tudo eram as reflexões dos personagens sobre eles mesmos e em como eles se sentiam em diversas situações, isso tudo os tornou mais reais e só fez com que o público (eu inclusa) se identificasse com cada capítulo.

Love, Rosie
Vocês devem ter percebido como eu fiquei fascinada pelo filme Simplesmente Acontece. Bom, de tanto que assisti, resolvi ler o livro original. Acabei achando em inglês na internet e não poderia ter amado mais. 

Me surpreendi ao perceber que o livro não tinha narrador ou uma perspectiva privilegiada. A história era contada por meio de e-mails, chats e cartas =) Vou fazer um post específico sobre o livro, fiquem ligados!

Bom, é isso. Expliquei as ausências e me desculpei escrevendo um post extremamente longo. Meu jeitinho, né? Me acompanhem nas redes sociais e me falem o que acharam do post ;)

High Five em todos vocês \o/ I'm back Bitches! ♥

Fotos: Google Imagens + Prints
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...