terça-feira, 29 de abril de 2014

A Realidade dos Sonhos

Mal acordo, e sou tomada pela angústia. Uma das piores sensações, que tem se tornado mais frequente aqui no coração. Odeio escolhas e assuntos mal-resolvidos. Odeio pressão. E isso tudo, só surge por causa do meu medo. Você pode se perguntar, medo de que? Se eu pudesse listar todos aqui, a página  iria travar.

A minha cabeça é fraca, e assimila qualquer preocupação futura, presente ou passada. Passo mais tempo transitando por esse túnel, do que vivendo. Sinto isso há semanas, mas só agora consegui traduzir para o Português. A confusão é tanta, que me sinto como o baralho, que é embaralhado, e se esquece de voltar a ordem original.

É engraçado como se pode sonhar com algo, e achar que nunca se pode conseguir. Mas, quando se consegue, tudo parece mais difícil, mais real. Talvez este seja o preço por viver no mundo dos sonhos. Mantenho os meus pés acima dos nuvens, e quando encaro a realidade, é como um tombo de 8.9 na escala Richter, e eu me machuco com a queda.

Como diziam os pensadores e as línguas alheias: Sonhar é fácil, difícil é realizar. E quando conquistar algo não é difícil, mas a dificuldade fica justamente em conviver com o sucesso? É meio doentio ter medo do sucesso. Mas, existe muitos "fracassos" existentes por aí, por medo de tentar e conseguir.

E se eu não quiser ser um fracasso? E se eu quiser ser um sucesso bem-sucedido? (Fez Sentido?) Sem freios, sem preocupações, apenas tentativas. Acho que vale a pena, dar uma força para o destino. Afinal, ficar esperando os milagres e o acaso me alcançarem, pode demorar um pouco. E eu não tenho tanto tempo assim.

Tenho pressa. De viver, de ser, de sonhar. Bem, eu já sonho. Agora falta realizar, e enfrentar os monstros. Não os que vivem lá fora. Mas os que estão aqui dentro. Os que estão espiando pelo buraco da fechadura, e esperando uma brecha para viver entre os típicos erros mundanos. Eles sonham em sair. Pobrezinhos, mal sabem o que os esperam.

- Alice promete que irá deixá-los sair. Num futuro breve, não tão distante do Inverno, mais próximo da Primavera.

Texto: Carol Chagas
Foto: We Heart It

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode comentar que eu não mordo :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...